21 de Fevereiro de 2017 • 9:58 am

Educação

Maragogi tenta reconstruir cenário da educação destruída

Município tem as piores notas do Ideb no Estado

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O município de  Maragogi, no litoral norte alagoano, vive um cenário de crueldade no âmbito da educação. De acordo com o Ideb 2016,  a nota em relação ao 5º ano do Ensino Fundamental, é de  3,2, abaixo da meta que era de 3,6. Em 2013 foi pior. Nota 2,9.

Foi esse cenário arrasador e pessimista que a nova equipe da Secretaria de Educação de Maragogi encontrou no município. Mas, apesar de todas as dificuldades, com os prédios escolares realmente em situação precária, o ano letivo começou na segunda-feira, 13 de fevereiro, pelo menos nas escolas urbanas da rede pública do município.
Segundo a secretária-executiva da Secretaria de Educação, Maria Lins Verçosa, “diretores, coordenadores, professores, todos estão se empenhando, e dentro do possível estamos organizando as escolas para receber pais, alunos. Na semana passada, quando iniciaram as aulas, foi uma semana muito importante, porque os diretores mobilizaram todos os funcionários para limpar as escolas, prepará-las, botando uma decoração, uma coisa simples, com o intuito de recepcionar, dar boas-vindas aos funcionários, alunos e pais.”

Escola abandonada em Maragogi

As escolas Dr. José Jorge de Farias Sales e Arlindo Estanislau da Silva, de Maragogi; Antônio Verçosa Coelho e Esperidião Francisco Nogueira, de Barra Grande; Ayres Pereira da Costa, de Peroba; Eurico Acioly Wanderley, de Ponta de Mangue; Manoel Medeiros Costa e Edvaldo de Melo Sena, de São Bento, todas da área urbana, conseguiram melhorias mais imediatas e já exibem a face do governo Sérgio Lira.
“Agora vamos começar a estruturar a área rural, onde a situação é bem pior. Apesar das escolas estarem passando por grandes reformas, ampliação, construção de salas de aula… Em Aquidaban, por exemplo, há apenas uma sala de aula para abrigar mais de cem alunos. É inadmissível. Mas o nosso grupo está muito otimista, e realmente empenhado, vestiu a camisa da nova gestão”, disse Maria Lins Verçosa. “Esta semana já chegou merenda e vamos começar a distribuir.”

A retomada pela gestãp atual

A equipe tem participado de reuniões na Secretaria de Educação do Estado, e realizado constantes contatos com a Gerência Regional (10 GERE), situada na cidade de Porto Calvo, responsável pelos doze municípios do litoral norte. Além de reuniões pontuais nas escolas, principalmente nas que têm poucos alunos, a fim de conversar com os pais, manter um diálogo com a comunidade de maneira geral, com o intuito de trazer de volta os alunos para as salas de aula.
“Com fé em Deus e muito trabalho a gente vai conseguir reverter esse quadro sofrível que se encontra a Educação no município de Maragogi”, concluiu Maria Lins Verçosa.
Evasão escolar – Nos últimos seis anos, o município veio perdendo alunos por abandono ou por preferirem estudar no Estado vizinho, Pernambuco, onde as condições de ensino são bem melhores. Basta notar que em 2016 o censo escolar apresenta aproximadamente 6.400 alunos, número bem inferior ao da época do atual prefeito Sérgio Lira em 2004, que era de mais de 7.200 alunos.

Deixe o seu comentário