13 de novembro de 2015 • 7:48 am

Brasil

Marina Silva quer promover diálogo entre Lula e FHC para superar a crise

Marina também defende o imediato afastamento de Eduardo Cunha da Câmara dos Deputados.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A ex-senadora Marina Silva, quer ser a bombeira da crise e do fogo cruzado entre PT e PSDB no País. Ela que foi terceira colocada na última disputa presidencial, está propondo um diálogo entre os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva para que o Brasil encontre saídas para a atual crise política e econômica.

“Está na hora de o presidente sociólogo e o presidente operário conversarem. Se foi possível Fernando Henrique conversar com ACM, se foi possível Lula conversar com Sarney, Collor, Renan, Jader Barbalho e Eduardo Cunha, por que não é possível conversarem dois ex-presidentes da República para que possamos viver os últimos suspiros da polarização?”, questionou. “Ex-presidentes estão aí para assumir o papel de ex-presidentes e ajudar o país a sair do caos”, pontuou.

Segundo ela, a crise política traz sérios danos para a economia. “As pessoas estão brincando. Qual é o investidor que vai olhar para uma situação como essa e vai achar que é sério investir no Brasil?”, questionou. “O que está acontecendo é que as pessoas estão trocando o futuro do Brasil por causa da próxima eleição. E não se troca o futuro de uma nação por causa de uma eleição.”

Sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Marina defendeu seu afastamento. “A nossa atitude, desde o princípio, foi de que, se houvesse denúncia, deveria haver o afastamento. Mas, na ausência do afastamento, com as denúncias, das provas consistentes que foram apresentadas pela Justiça, então, tem um lugar para se fazer essa avaliação, que é o Conselho de Ética”, disse Marina Silva, sugerindo que ele deve ser cassado.

 

Deixe o seu comentário