7 de dezembro de 2017 • 6:00 am

Brasil » Economia » Governo

Menor nível na história: Juros caem pela 10ª vez seguida e vão a 7% ao ano

Até então, o patamar mais baixo havia sido registrado entre outubro de 2012 e abril de 2013 (7,25%).

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu nesta quarta-feira (5) cortar a taxa básica de juros (Selic) em 0,5 ponto percentual, de 7,5% para 7% ao ano. Com isso, a poupança continua rendendo menos (leia mais abaixo).

Esse foi o décimo corte seguido da Selic, que atinge seu menor nível na história (o Copom foi criado em 1996). Até então, o patamar mais baixo havia sido registrado entre outubro de 2012 e abril de 2013 (7,25%).

A decisão foi unânime e veio dentro do esperado pelo mercado. Dos 50 economistas consultados pela agência de notícias Reuters, 49 apostavam em corte de 0,5 ponto e apenas um previa redução de 0,25 ponto.

Juros ao consumidor

A Selic é a taxa básica da economia e serve de referência para outras taxas de juros (financiamentos) e para remunerar investimentos corrigidos por ela. Ela não representa exatamente os juros cobrados dos consumidores, que são muito mais altos.

Segundo os últimos dados divulgados pelo BC, a taxa de juros do cheque especial em outubro era de 323,7% ao ano. Já os juros do rotativo do cartão de crédito eram de 337,9% ao ano.

Poupança rende menos

Desde setembro, a poupança passou a render menos devido a uma nova regra, criada em 2012.

Quando a Selic está acima de 8,5% ao ano, a rentabilidade da poupança é de 6,27% ao ano (0,5% ao mês) mais TR (Taxa Referencial).

Quando a Selic é igual ou menor que 8,5%, a poupança passa a render 70% da Selic mais TR. Isso, na prática, representa um rendimento menor.

Deixe o seu comentário