5 de junho de 2017 • 7:47 am

Segurança

Militares insatisfeitos ameaçam paralisação de advertência no Estado

O movimento é coordenado pelas associações de classe que pressionam por aumento salarial

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Policiais: à espera do aumento

A ausência de informações concretas sobre o reajuste salarial dos servidores públicos mexeu com homens e mulheres da área de segurança pública do Estado, que já não escondem a insatisfação aos líderes nos quarteis da Polícia Militar e Bombeiros.

Na onda dessa inquietação, as associações de classe dos dois segmentos já admitem a realização de uma paralisação de advertência para pressionar o governo a definir a questão. A paralisação seria por 24 horas.

Os líderes das entidades de militares e bombeiros buscam apoio do conjunto das entidades dos servidores públicos para fortalecer a maifestação com o objetivo de negociar o reajuste salarial.

A manifestação seria realizada com uma espécie de aquartelamento, uma vez que a greve no segmento não é permitida por lei.

Na semana que passou líderes das associações militares assinaram um ofício encaminhado ao desembargador Otávio Praxedes, presidente do Tribunal de Justiça, pedindo a intermediação da corte junto ao governo do Estado para que seja aberta discussão em torno do tema.

O ofício foi protocolado no Tribunal dia 30, mas o presidente do TJ ainda não deu nenhum retorno às entidades, o que deverá acontecer esta semana.

Deixe o seu comentário