30 de Abril de 2015 • 8:09 pm

Política

Ministério da Saúde acusa rombo de quase R$ 6 milhões na saúde de Maceió

O desvio de recursos na Secretaria foi identificado primeiramente pelo Conselho Municipal de Saúde, que solicitou a auditoria do MS

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Silvanio: quer uma CEI na Câmara.

Silvanio: quer uma CEI na Câmara.

Um rombo de quase R$ 6 milhões  foi detectado pelo Ministério da Saúde na gestão da saúde pública de Maceió agora no governo do prefeito Rui Palmeira (PSDB). Diante disso, a Secretaria Municipal de Saúde de Maceió terá que devolver cerca de 5 milhões e 800 mil reais ao Ministério, caso contrário,o município poderá ficar impedido de receber recursos federais.
A revelação foi feita pelo vereador Silvânio Barbosa (PSB), durante sessão ordinária da Câmara nesta quinta-feira (30). Barbosa apresentou em plenário o relatório da auditoria do Ministério da Saúde, realizada em janeiro deste ano. O documento traz uma série de indícios de irregularidades. “A auditoria é bem clara. Após análise em de extratos bancários, foram detectados vários saques de contas com recursos federais que não tiveram comprovação”, afirmou Silvânio.

A auditoria na Secretaria Municipal de Saúde do governo Rui palmeira (PSDB) foi solicitada pelo Conselho Municipal de Saúde, o primeiro órgão a identificar o rombo praticado na pasta na atual administração. O Conselho já está encaminhando os dados ao Ministério Público Federal, para que seja apurado o crime de responsabilidade dos gestores responsáveis.
Outro ponto investigado foi a compra de dez mil protetores solares por 280 mil reais que sequer foram distribuídos entre os agentes de endemias. “Um dos motivos da greve dos agentes era justamente a falta de material, como protetor solar. Estavam todos lá na CAF, encaixotados. Mas enquanto a nota fiscal indica protetores fator 58, na nota de empenho constam protetor fator 50. Isso é muito estranho, não vi nenhum protetor fator 58 lá”, destacou Barbosa.
Silvânio Barbosa disse ainda que, de acordo com o que foi determinado pelo Ministério da Saúde, o município teria 15 dias para apresentar as justificativas a contar do dia da divulgação do relatório, o que ocorreu em 6 de fevereiro. Mas até agora, a secretaria não apresentou a defesa. “Por isso que o Ministério da saúde determinou que a secretaria de saúde devolva quase 5 milhões e 800 mil reais aos cofres do governo federal. Se isso não acontecer, Maceió pode ter o repasse de recursos federais suspenso. Ou seja, o que já é ruim, vai ficar pior. Quero uma CPI para apurar essas e outras irregularidades.Também vou ao Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual cobrar providências”, finalizou.

1 Comentário

  1. […] presidente do PPS de Alagoas, Regis Cavalcanti, disse nesta quarta-feira que o rombo de quase R$ 6 milhões na saúde de Maceió foi provocado pela má gestão do prefeito Rui Palmeira (PSDB). O desvio dos […]

Deixe o seu comentário