3 de dezembro de 2015 • 12:33 pm

Maceió

Ministério público pressiona Prefeitura por causa do lixo em rua do Vergel

O acúmulo do lixo na Marqês de Pombal tem se tornado em focos do mosquito da dengue e da Zika.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Reunião no Ministério Público.

Reunião no Ministério Público.

A 26ª Promotoria de Justiça da Capital, que atua na defesa do meio ambiente vai realizar uma audiência para discutir o descarte irregular e o acúmulo de lixo na Rua Marquês de Pombal, no bairro Vergel do Lago. A reunião foi marcada para o próximo dia 15, às 9 horas.

A questão é que como a Prefeitura de Maceió não está recolhendo o lixo com regularidade, a situação a rua tem vários pontos de lixo. Essa situação tem preocupado o Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL) em função da proliferação do mosquito aedes aegypti, que se reproduz em ambientes de concentração de resíduos sólidos. Nesse momento que a Zika, doença transmitida pelo mosquito, já é um problema grave em Maceió.

O promotor de Justiça Alberto Fonseca recebeu representantes da Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (SEMPMA) e da Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (SLUM) em reunião realizada no Núcleo de Defesa do Meio Ambiente e deixou claro que “a questão que se apresenta nos autos não se reflete unicamente na temática ambiental, haja vista que estão presentes elementos de saúde e urbanismo”.

Ele observou que a  proliferação mosquito aedes aegypti transmissor da zika e chikunguya, se dá em ambientes como os lixões a céu aberto, ferro-velhos, construções abandonadas, terrenos baldios, entre outros. Para agravar a situação, já foram constatados inúmeros casos de microcefalia em bebês de mães que apresentaram sintomas de ter contraído zika no período gestacional”, disse o promotor de Justiça.

Alberto Fonseca também destacou que a 26ª Promotoria de Justiça da Capital já teve a oportunidade de realizar ações da Fiscalização Preventiva Integrada da Dengue (FPI da Dengue), que tinha como objetivo apoiar as ações do comitê estadual de mobilização contra a doença em Maceió. No entanto, por falta de pessoal, que seria designado pela Secretaria Municipal de Saúde, não houve o necessário desdobramento nos diversos alvos que foram visitados pela FPI do Dengue no segundo semestre de 2013.

Sujeira – Na reunião a representante da Prefeitura de Maceió responsabilizou os moradores e os carroceiros pela suheira da rua Marquês de Pombal.

 

Deixe o seu comentário