18 de junho de 2016 • 8:24 am

Brasil » Política

Ministro da Educação: mais um envolvido com propina na Lava Jato

Investigação direciona para mais de 100 políticos inclusive vários nomes de Alagoas.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O ministro da Educação, Mendonça Filho, que tem como guru o ator Alexandre Frota, é o próximo da lista a cair do governo Temer. Não por que o interino queira, mas por está envolvido na usina de propina que vem sendo investigada pela operação Lava Jato.

O Procurador da República, Rodrigo Janot, já disse ao Supremo Tribunal Federal que tem elementos suficientes para um processo contra o ministro, que é deputado federal e votou a favor do impeachment se dizendo contra a corrupção.

Mendonça Filho, de acordo com os levantamentos da PGR teria recebido propinas das empreiteiras UTC, de Ricardo Pessoa, bem como da Odebrechet e da Queiroz Galvão. De cada uma ele teria recebido R$ 100 mil.

A manifestação do Procurador da República foi feita em 26 de janeiro e corria em segredo de justiça, até o ministro do STF, Teori Zavascki, torná-la pública nesta sexta-feira 17.

Políticos com e sem mandato – O governo de Temer se mobiliza para encerrar a Lava jato a todo custo por conta da lista da Odebrechet que está sendo processada na PGR, onde constam os nomes de mais de 150 políticos, entre parlamentares, ex-parlamentares, governadores e ex-governadores e até o próprio Michel Temer, citado em delação premiada do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

Alagoanos – Entre os políticos citados na lista da Odebrechet estão inclusive políticos alagoanos, como o ex-governador Teotônio Vilela Filho e o ex-deputado federal e hoje prefeito de Maceió, Rui Palmeira, ambos do PSDB, o senador Renen Calheiros (PMDB), alem do senador Benedito de Lira e do filho, deputado federal, Arthur Lira, ambos do PP e já processados na Operação Lava Jato.

Deixe o seu comentário