21 de fevereiro de 2017 • 7:28 am

Brasil

Ministro Padilha recebe R$ 13 milhões de contratos sob investigação

Ministro disse por meio da assessoria que não falará sobre o assunto

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A empresa Explorer Call Center, com sede em Porto Alegre e ligada ao ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, recebeu R$ 13 milhões da estatal gaúcha Corsan (Companhia Riograndense de Saneamento) em contratos sob investigação.

Entre os indícios de irregularidades encontrados por auditorias realizadas pelo TCE-RS (Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul), estão o pagamento por serviços não prestados e uma “procrastinação” para a realização de nova licitação.

Ministro Padilha: grande esquema no RS

Por meio de sua assessoria de imprensa, Padilha disse que não iria se pronunciar sobre o caso. Procuradas, a Corsan e a Explorer não retornaram as ligações feitas pela reportagem. O TCE-RS, por sua vez, disse que já notificou os responsáveis pelas irregularidades e que aguarda o julgamento dos casos.

A Corsan é uma das maiores estatais do Rio Grande do Sul. Ela é responsável por fornecer água e esgoto a seis milhões de pessoas em 316 municípios. Por ser estatal, a empresa precisa submeter suas contas à aprovação do TCE-RS. Segundo o tribunal, a avaliação das contas da companhia estão atrasadas desde 2010.

A Explorer Call Center foi aberta em setembro de 2009. Desde então, sua sede funciona em um prédio alugado que pertence à Gaivota Participações LTDA, empresa que tem Padilha e sua mulher, a advogada Simone Camargo como sócios.

Um relatório da PF sobre a Operação Lava Jato mostrou mensagens de texto enviadas por Padilha para tentar captar negócios para a Explorer Call Center junto à operadora OI em 2014, então controlada pela Andrade Gutierrez. Padilha admitiu sua atuação em favor da Explorer, mas negou qualquer irregularidade

Deixe o seu comentário