22 de junho de 2015 • 1:53 pm

Maceió

Moradores da antiga Favela de Jaraguá começam a deixar abrigo provisório

Ao todo, 171 famílias já estão de posse do documento que comprova o pagamento do auxílio-moradia

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

semas-atendimento-abrigo-1-1024x768Parte das famílias que estão alojadas no abrigo provisório da Prefeitura de Maceió, oriundas da desocupação da Favela do Jaraguá, já começou a deixar o espaço e organiza a mudança para o novo endereço. Ao todo, 171 famílias já estão de posse do documento que comprova o pagamento do auxílio-moradia.

O auxílio é um benefício eventual concedido em situações de emergência pelos municípios e é pago diretamente às famílias, como prevê a Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS), por um período de três meses, podendo ser prorrogados por mais três, a depender da situação de vulnerabilidade e risco social. O benefício é no valor de R$ 250.

A secretária de Assistência Social de Maceió, Celiany Rocha, destaca que todas as solicitações do benefício eventual em decorrência da desocupação da Favela do Jaraguá já estão encaminhadas e as famílias já começam a sacar o valor nesta segunda-feira (22). “As primeiras famílias que deram entrada no encaminhamento já começam hoje a sacar o benefício. Todos os pedidos já estão empenhados e apenas o banco está concluindo o trâmite processual. Nossa previsão é que até amanhã (terça-feira) todas as famílias já possam sacar o benefício”, explicou.

O pescador Nelson dos Santos é um dos beneficiados com o auxílio-moradia. Nesta segunda-feira, ele já se prepara para fazer a mudança para o novo imóvel alugado onde vai morar, no bairro do Trapiche da Barra. O pescador estava no abrigo provisório desde a última quinta-feira (18). “Fui um dos primeiros a procurar o atendimento da Semas aqui no abrigo.

Cadastro Único

Nesta segunda, equipes do Cadastro Único para programas sociais (CadÚnico) estão no abrigo provisório fazendo atendimento das famílias que ainda não estavam inseridas no CadÚnico. José Cícero dos Santos, 47 anos, foi um dos primeiros a ser atendido. “Eu trabalho ajudando pescadores e como carroceiro, mas nunca fiz o cadastro do CadÚnico. Estou na casa de parentes, mas já consegui garantir o auxílio moradia e amanhã devo me mudar para a casa que consegui alugar no Bom Parto. Estou torcendo para conseguir entrar também no Bolsa Família para ajudar ainda mais minha família”, disse José Santos.

Desde a desocupação da Favela do Jaraguá – que atende à determinação da Justiça Federal de retirar a chamada Vila dos Pescadores do bairro do Jaraguá para reintegração de posse da área de Marinha -, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) concedeu 171 auxílios moradia e acolheu 53 famílias no abrigo provisório.

Na área antigamente ocupada pela favela, será construído o Centro Pesqueiro. O espaço, projetado desde 2007 para qualificar o trabalho da pesca na região, terá suas obras iniciadas nos próximos dias, assim que todo o entulho seja retirado do local e a área esteja completamente cercada.

Deixe o seu comentário