15 de Maio de 2016 • 11:04 pm

Interior

MST denuncia ataque de jagunços no Acampamento Maravilha

De acordo com o Movimento, barracos foram queimados e famílias receberam ameaças

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Ilustração / Reprodução Internet

Ilustração / Reprodução Internet

Um ataque atribuído a jagunços foi denunciado, por meio de comunicado à imprensa distribuído neste domingo pelo Movimento Sem Terra (MST). De acordo com a informação contida no texto, o alvo teria sido o Acampamento Maravilha, no município de Poço de Trincheiras, onde barracos teriam sido queimados na sexta-feira e as famílias ameaçadas de expulsão. A área está ocupada pelo movimento há mais de 2 anos.

Os acampados que já estavam em processo de negociação para garantir o assentamento das famílias que vivem no local, em barracas de lona preta, dizem que estão sofrendo ameaça e atribuem a ação aos donos da fazenda, com a intenção de retomar a áreas, também conhecida como fazenda Tapuio.

Na nota, a direção do MST na região diz que “os pistoleiros estavam encapuzados quando vieram tocar fogo nos nossos barracos”. Eles temem que as ameaças fiquem cada vez mais intensas. De acordo com o Movimento, essas pessoas encapuzadas teriam dito que estão dispostos a resolver qualquer problema na bala, ameaçando inclusive a Direção e a Coordenação do acampamento”.

Os Sem Terra destacaram a necessidade de denunciar o ocorrido para que seja evitada uma tragédia envolvendo trabalhadores rurais. “Vamos registrar Boletim de Ocorrência relatando o fato à polícia, pois não queremos que aqui ocorra uma tragédia pelas mãos da pistolagem autoritária que amedronta a vida dos camponeses e camponesas”, destacou a Direção do MST.

“Continuaremos denunciando todo e qualquer ataque que ameace a nossa vida, resistindo e em luta pela justiça e pela Reforma Agrária”.

Deixe o seu comentário