1 de maio de 2016 • 9:26 pm

Justiça

Multidão acompanha sepultamento do desembargador Magalhães

Magistrado atuou por mais de 33 anos no Judiciário alagoano, como juiz, desembargador do Tribunal de Justiça, corregedor-geral de Justiça

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Foto: Caio Loureiro (Assessoria TJ)

Foto: Caio Loureiro (Assessoria TJ)

Centenas de pessoas acompanharam, no final da manhã deste domingo, o sepultamento do desembargador James Magalhães de Medeiros. Ele morreu ontem, em Maceió, aos 68 anos de idade, vítima de um câncer do qual vinha se tratando há algum tempo.

Familiares e amigos, operadores do Direito, autoridades públicas, prestaram as últimas homenagens ao magistrado. “É um dia de muita tristeza, uma perda irreparável. Ele além de desembargador era integrante da Academia Alagoana de Letras, também fazia parte do movimento familiar cristão com uma atuação muito forte. Enfim, o Estado de Alagoas perde um homem muito inteligente, dedicado, que tinha como tônica sempre fazer o bem. Nós estamos desfalcados e vai ser muito difícil preencher essa lacuna deixada pelo desembargador James Magalhães”, destacou o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Washington Luiz.

O desembargador Otávio Leão Praxedes também destacou a falta que James Magalhães fará no dia a dia do Poder Judiciário e a importância do trabalho por ele desenvolvido. “Hoje é um dia muito triste para todos nós que fazemos parte do Poder Judiciário porque realmente perdemos um grande amigo. O desembargador James foi um excelente operador do Direito e deixou marcas inesquecíveis com a sua trajetória, não somente como magistrado, mas também como corregedor-geral da Justiça e apresentou-se pela sua qualidade.”

A presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas, Fernanda Marinela, ressaltou a dedicação do desembargador James Magalhães durante sua carreira na Justiça alagoana e destacou a importância da presença dos amigos nesse momento com a família. “Todo o mundo jurídico sente muito por essa perda, não só pelo grande mestre, mas também pelo grande homem e exemplo que ele foi para toda a comunidade jurídica de Alagoas” disse.

HISTÓRICO

Magalhães atuou por mais de 33 anos no Judiciário alagoano, como juiz, desembargador do Tribunal de Justiça, corregedor-geral de Justiça e atualmente era diretor da Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal). Também tinha assento na Academia Alagoana de Letras

Desembargador James Magalhães (Foto: Ascom/TJ

Desembargador James Magalhães (Foto: Ascom/TJ

Graduado em Direito em 1973, o desembargador James Magalhães de Medeiros atuou como juiz titular nas comarcas de Delmiro Gouveia, Traipu, Santana de Ipanema, Arapiraca e Maceió.

Ingressou no TJ/AL como desembargador em 2008 por critério de antiguidade, onde presidiu a Primeira Câmara Cível e integrou o Conselho Estadual da Magistratura do TJ/AL. Foi corregedor-geral da Justiça no biênio 2011-2012.

Em 2015, assumiu a direção da Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal), que se tornou uma das instituições com mais cursos credenciados pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) em todo o país. Ainda em 2015, a Esmal ficou em primeiro lugar, na região Nordeste e em quarta entre os outros estados brasileiros, com sete cursos credenciados.

Em 2012, tomou posse como imortal da Academia Alagoana de Letras. James Magalhães tinha vários livros publicados, entre eles “Decisões Cíveis na Justiça Militar Estadual”, lançado em 2009. A obra reúne decisões cíveis proferidas por ele durante sua atuação na 13ª Vara Criminal da Comarca de Maceió – Auditoria da Justiça Milita

Deixe o seu comentário