10 de agosto de 2015 • 5:16 pm

Blogs » Fátima Almeida

Murici cai na malha fina da Controladoria Geral da União

Município está entre os 45 sorteados no país para fiscalização da aplicação dos recursos federais

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Mera coincidência. O município de Murici – terra do presidente do Senado, Renan Calheiros, e do governador de Alagoas, Renan Filho, ambos do PMDB – foi o “contemplado” no sorteio da Controladoria-Geral da União (CGU), entre os municípios brasileiros que serão submetidos a uma verdadeira devassa nas contas públicas, quanto à aplicação dos recursos federais, dentro do Programa de Fiscalização em Entes Federativos.

O programa foi instituído pela CGU, por meio da Portaria nº 2008, de 7 de agosto de 2015, com objetivo de verificar a regularidade na aplicação de recursos federais descentralizados aos Estados, Distrito Federal e municípios.

Ao todo, serão 45 municípios brasileiros submetidos a esse ciclo do programa – apenas um de Alagoas. A seleção é feita por sorteio público ou matriz de vulnerabilidade – composta de indicadores nas dimensões de desenvolvimento econômico-social, materialidade, transparência e controle, entre outros quesitos que apontem possível vulnerabilidade na aplicação de recursos públicos federais repassados aos entes federativos.

Nesse critério, treze municípios alagoanos foram relacionados para sorteio: Barra de Santo Antônio, Barra de São Miguel, Coqueiro Seco, Maceió, Marechal Deodoro, Messias, Paripueira, Pilar, Rio Largo, São Miguel dos Campos, Santa Luzia do Norte e Satuba, além de Murici, que acabou sendo o sorteado.

 

A Portaria com o resultado do sorteio foi publicada no Diário Oficial da União, nesta segunda-feira (10) e a fiscalização intensiva começa imediatamente, devendo se prolongar até o final do ano. Os relatórios da fiscalização serão publicados periodicamente no site da CGU até o dia 31 de dezembro deste ano.

Pode dar muito o que falar, essa fiscalização. Murici vem, há muitos anos, sendo administrada pela família Calheiros; já passou pelas mãos do pai, do filho e de diversos parentes do presidente do Senado e hoje tem, à frente do Executivo, o irmão Remi Vasconcelos Calheiros.

Mas a escolha, foi por sorteio. Mera coincidência…

1 Comentário

  1. Herasto disse:

    esperamos que vá em frente não seja mais um município que tenha as contas engavetadas pelos poderosos

Deixe o seu comentário