9 de março de 2017 • 12:21 pm

Cultura » Poesia

Na veia poética do professor Pife, o Dia Internacional da Mulher

‘Não pintem nossas faces de rouge e blush’…

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Por Oswaldo Epifânio – Pife
 Quem sois vós, mulheres,
Que assombram os becos do mundo com as vestes 
 De Cor Púrpura de Alice Walker?

Quem sois, então? 
Os gestos aguerridos
De Maria da Penha?

Ou as pétalas de Rosa Parks
A esvoaçar pelos ombros
Da indiferença? 

Sois Jyoti Singh,
Em Délhi, a olhar, inválida 
Os sorrisos de seus carrascos libidinosos?

"Somos Nise da Silveira e
Mãe Neide Oyá D'Oxum."

"Toma, é o que queres
Saber de nós, mais ainda:
Somos Dandara, Nefertiti, Phryne,
Anne Bonny, Émilie du Châtelet.
Todas nós somos mescladas."

"Querem-nos?
Então nos chame de Bertha Lutz
Com ou sem a tristeza das vozes veladas.
Tenham-nos inteiras 
De Aracy de Guimarães Rosa, intrépidas,
Como a sentir os dedos finos
De corpo mínimo de Teresa de Calcutá."

Chamem-nos de Simone de Beauvoir
E de Rachel de Queiroz
Que é melhor"

Não rotulem nossos medos normais.
Não pintem nossas faces
De Rouge e Blush.
Somos humanas
Como quem acolhe as dores do mundo de punho firme."

Osvaldo Epifânio, o Pife.

Deixe o seu comentário