15 de junho de 2015 • 1:49 pm

Política

Negociação salarial: Município oferece 6% e servidores podem fechar acordo

Proposta prevê pagamento de 2,16% retroativos a janeiro e duas parcelas de 1,92% para o final do ano. Progressões seriam pagas a partir de setembro

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Reunidos na Mesa de Negociação, servidores recebem nova proposta (Foto: Ascom Semarhp)

Reunidos na Mesa de Negociação, servidores recebem nova proposta (Foto: Ascom Semarhp)

A comissão de negociação da prefeitura de Maceió e o Movimento Unificado dos servidores do município estão a um passo de fechar o acordo coletivo de 2015. Em nova rodada de negociação, que está acontecedo neste momento, na Secretaria de Administração, o município avançou na proposta e chegou ao mesmo índice (de 6%) fechado com o magistério.  Resta, agora, a apreciação da proposta em assembleia dos servidores, mas o clima, na reunião, aponta para a possibilidade de fechamento.

Na última sexta-feira, a comissão havia oferecido 5,5%, mas os sindicatos reivindicavam que se chegasse, pelo menos ao índice de reposição da inflação pelo índice de IPCA (6,48%), e pagamento reatroativo ao mês de janeiro, data-base das categorias. No entanto, a prefeitura alegou impossibilidade, por causa do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. O secretário adjunto da Administração, Alan Balbino, que vem conduzindo as negociações, explicou que, aplicar o IPCA integral, e com efeito retroativo, poderia inviabilizar o município.

Ele destacou que há orcilações, tanto na folha de pagamento, por conta de vantagens acrescidas relativas a direitos adquiridos, quanto no orçamento do município. E citou, por exemplo, que a última parcela do FPM apresentou queda de R$ 7 milhões, em relação à anterior, liberada em maio.

Na proposta apresentada hoje, o município se compromete em implantar os 6% de reajuste em três parcelas, sendo que a primeira, de 2.16%, seria paga agora, com efeito retroativo a janeiro. As outras duas, em percentuais de 1,92% cada uma, seriam pagas nos meses de novembro e dezembro, mas sem retroativo.

O município também se comprometeu, nessa nova proposta, em implantar as progressões por mérito em setembro, e no mesmo mês negociar a implantação das progressões por titulação e iniciar as discussões em relação ao acordo salarial de 2016.

Deixe o seu comentário