10 de Maio de 2017 • 11:22 am

Brasil

Nova pesquisa diz que Lula lidera para 2018, seguido de Bolsonaro e Doria

Instituto brasiliense diz que Lula ainda é o principal nome para presidente nas próximas eleições

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Embora acuado pela Justiça do Paraná, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva continua a liderar todas as pesquisas de intenção de votos para Presidente da República  no País.

Exatamente neste dia 10, data em que Lula presta depoimento ao juiz Sérgio Moro sobre o apartamento Triplex, o insituto DataPoder360, de Brasília, divulgou pesquisa em que Lula lidera a corrida presidencial com 27%.

Aos 71 anos de idade,  Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é líder nos 2 cenários testados para a eleição presidencial de 2018 na pesquisa nacional do DataPoder360. Atrás do petista estão o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC), 62, e o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), 59 anos.

Se as eleições fossem hoje, Lula teria até 27% das intenções de voto. Mas a depender de quem será o candidato do PSDB, o quadro melhora ou piora para o petista.

O levantamento foi realizado nos dias 7 e 8 de maio. Foram entrevistados 2.157 brasileiros e brasileiras com 16 anos de idade ou mais, em 243 municípios. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Bolsonaro sem Doria: No cenário em que Doria não é o candidato dos tucanos, Lula teria 25% das intenções de voto, mas ficaria tecnicamente empatado com Bolsonaro, dentro do limite da margem de erro de 3 pontos percentuais. O líder da direita tem 21% (na margem, oscila de 18% a 24%; Lula, de 22% a 28%).

Uma ressalva importante: é errado dizer que Lula e Bolsonaro cresceram em relação à pesquisa anterior, de abril. É que as variações de ambos se deram dentro da margem de erro. Para saber se há, de fato, crescimento será necessário esperar o levantamento do DataPoder360 de junho.

Nesse mesmo cenário, o pré-candidato do PSDB testado foi o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, 64 anos. O tucano caiu em relação à pesquisa DataPoder360 de abril. Alckmin aparece com 4% agora, contra 8% no mês passado.

Além de Alckmin, a pesquisa também registra queda da presidenciável Marina Silva (Rede), 59 anos. Com 11% das intenções de voto em abril, Marina teve apenas 7% em maio. Ciro Gomes, 59, possível candidato do PDT a presidente, manteve os mesmos 5% no cenário com Alckmin, e pontua 6% se o tucano testado é Doria.

Com Doria – Quando o DataPoder360 coloca João Doria como candidato tucano, há uma diferença relevante. Bolsonaro desliza de 21% para 17%. Fica empatado na margem de erro com o nome do PSDB, que tem 13%. Essa tendência já havia sido detectada pelo DataPoder360 em abril.

Eis os 2 cenários para a corrida presidencial testados pelo DataPoder360:

cenario1-datapoder360-maio

cenario2-datapoder360-maio

CIRO GOMES, O MAIS REJEITADO: 56%

O ex-governador do Ceará Ciro Gomes tem a maior rejeição entre os principais pré-candidatos a presidente. Segundo o DataPoder360, 56% dos entrevistados não votariam de jeito nenhum em Ciro.

Em seguida, 2 nomes empatam em rejeição: Lula (54%) e Alckmin (54%). Ambos foram citados recentemente nas delações da Odebrecht, mas a opinião dos eleitores é mais favorável para Lula que para o tucano. Réu em 5 processos, o petista seria o único em quem 24% dos entrevistados gostariam de votar, enquanto apenas 4% têm o governador paulista como opção.

A líder da Rede, Marina Silva, é rejeitada por 53%. A pré-candidata, porém, é considerada 1 voto possível por 26% dos entrevistados. Ninguém tem mais do que ela nesse quesito.

INDECISÃO SOBRE DORIA É DE 22%

A pesquisa DataPoder360 revela que 45% dos entrevistados não votariam de jeito nenhum no tucano João Doria. É a menor rejeição entre os nomes testados, mas ainda assim é 1 índice alto. Próximo a ele, está Bolsonaro, com 46%.

Ambos também têm pontuação parecida quando considerados como escolhas possíveis aos eleitores. Bolsonaro é uma possibilidade para 22% e Doria, para 21%.

A diferença na disputa entre os 2 pode vir da quantidade de entrevistados indecisos ou que não têm uma opinião formada sobre os possíveis candidatos: 22% de Doria e 14% de Bolsonaro. Isso significa 1 maior potencial de crescimento para o prefeito.

rejeicao-datapoder360-maio

BRANCOS E NULOS

A quantidade de eleitores que votariam em branco ou nulo permanece alta. No cenário com Alckmin, a taxa oscilou de 25% para 28%, maior do que a quantidade de pessoas que votariam no 1º colocado, Lula, com 25%. Com Doria, o número de eleitores que anulariam ou votariam em branco fica menor: 24% –em abril, eram 26%.

 

1 Comentário

  1. O que falta ainda é acabar com o direcionamento de votos pelos institutos de pesquisas, tem que haver uma operação da PF em cima desses institutos fajutos e manipuladores!

Deixe o seu comentário