12 de setembro de 2016 • 8:40 am

Brasil » Justiça

Nova presidente do STF quer punir juízes corruptos com apoio do CNJ

Ministra Carmem Lúcia defende o fim do cargo vitalício para ministro do Supremo

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

 

Toma posse nesta segunda-feira, 12, como presidente do Supremo Tribunal Federal, a Ministra Cármen Lúcia, que substituirá o ministro Ricardo Lewandowski.

A ministra disse em contato com a imprensa que uma de suas prioridades é fortalecer o Conselho Nacional da Justiça, para que possa investigar e punir magistrados corruptos.

Considerada sensível às questões sociais, a ministra já pediu urgência às autoridades na prestação de informações sobre o processo que discute o aborto para mulheres infectadas pelo vírus da zika. Ela assumirá a corte congestionada de processos para julgamento,

A questão penitenciária também deverá ser destaque na gestão dela que defende o fim dos partos dentro dos presídios. A ministra também já se posicionou a favor da fixação de mandato para ministros do STF.

Na atualidade atualmente, o cargo de ministro é vitalício, com aposentadoria compulsória aos 75 anos. “Não espero ficar lá mais 15 anos, acho que saio antes disso”, disse.

Discreta, Cármen Lúcia dirige o próprio carro, resistindo à insistência de assessores para que ande com seguranças. Já avisou aos colegas que não gosta “muito de festas” e abriu mão do tradicional coquetel de comemoração à chegada à presidência, organizado pelas associações de magistrados.

Deixe o seu comentário


Publicidade