5 de Janeiro de 2018 • 7:38 am

Segurança

Número de assaltos a ônibus em Maceió registra queda de 54,3% em dezembro

PM intensificou abordagens a ônibus com o emprego de todos os batalhões da capital

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A Segurança Pública de Alagoas encerrou o ano de 2017 registrando queda de 54,3% no número de assaltos a ônibus no mês de dezembro. Os dados foram apresentados durante reunião com representantes dos rodoviários, das empresas de transporte coletivo e integrantes das Polícias Civil e Militar, nesta quinta-feira (4).

Mesmo com a grande circulação de pessoas pela capital durante o último mês do ano, o policiamento ostensivo, as abordagens e outras estratégias adotadas pela Segurança Pública conseguiram reduzir para 20 as ações criminosas no mês.

Segundo dados do Núcleo de Estatística e Análise Criminal (NEAC) da SSP, no ano anterior, foram registrados 57 assaltos a coletivos na capital no mês de dezembro. O número registrado em dezembro de 2017 também foi o menor do ano.

No início do mês, o Comando de Policiamento da Capital (CPC) determinou que todos os batalhões da Polícia Militar passariam a realizar abordagens aos coletivos para intensificar o trabalho já realizado e, dessa forma, reduzir o número de assaltos.

Metas para 2018

“Em 2018, a estratégia será intensificar as ações realizadas pelo CPC e assim conseguir resultados ainda melhores”, disse, durante a reunião, o comandante do CPC, tenente-coronel Neyvaldo Amorim.

O secretário da Segurança Pública, Lima Júnior, parabenizou as polícias e também empresas e rodoviários pelo resultado alcançado, afirmando ser fruto da parceria estabelecida entre eles. Para Lima Júnior, o grande desafio da Segurança Pública será reduzir ainda mais o registro de ocorrências desse tipo em 2018.

Ele também lembrou a necessidade das empresas de ônibus investirem na melhoria do circuito interno de segurança dos veículos para que os assaltantes sejam identificados com mais facilidade e sejam presos.

Deixe o seu comentário