17 de maio de 2015 • 1:09 pm

Blogs » Pequeno Polegar

O Gadus Morhua e os amigos que adoram comprar e não pagar

Um amigo comprou em São Paulo um legítimo Gadus Morhua. Pagou um preço nada barato e vendeu a quase três vezes mais aqui na terra dos marechais.  O detalhe é…

Por: Pequeno Polegar
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Um amigo comprou em São Paulo um legítimo Gadus Morhua. Pagou um preço nada barato e vendeu a quase três vezes mais aqui na terra dos marechais.  O detalhe é que vendeu fiado a clientes amigos: um médico, um juiz e um exterminador de cupim, que criou uma nova tecnologia para matar os insetos sociais, depois de fazer um curso no Pronatec.

O que o vendedor de bacalhau não sabia é que a clientela gosta mais é de uma boca livre. Autênticos BDP, ou seja, bocas de ponche.

O trio de compradores, segundo me contou o Considerado, tem uma relação comercial bem intrínseca. Um deve ao outro ou todos se devem. O negociante, que é um Pastor meia boca, está a cobrar dessa turma, desde a semana a santa mas ainda não viu a cor de um centavo sequer.

Estava eu trabalhando e chega o Considerado citando um verso: – Da espinha desse bacalhau, mandei fazer uma vareta… – Êpa! Respeite o ambiente. – Falei por conhecer bem a estrofe de um poema de Chico Nunes das Alagoas e onde eu estava haiva algumas senhoras e senhoritas.

Ele parou e resolveu contar a história envolvendo os três compradores do Gadus Morhua.

O problema é o seguinte: o médico, urologista e proctologista, fez uma consulta com exames no magistrado antes do carnaval e não recebeu. O  exterminador de cupins detetizou a área de lazer do médico em outubro passado e também não recebeu um tostão. Mas nosso exterminador deve a ambos uma aposta de um vinho de qualidade, desde o natal, e até agora nada a declarar. Todos agora devem ao Pastor.

O Pastor até faz orações, mas eles dizem que só pagam quando um receber o crédito que tem com o outro.

-Que turma essa hein Considerado?

– E é tudo bocão.

– São seus amigos?

– Bem, o Babá é?

-Que Babá?

– O Batoré, dono da Babatec cupins.

– E os outros dois?

– Também, mas sabe como é… Eu não posso me meter na briga de dois doutores que já entraram num acordo pra enrolar meu amigo Babá.

– Como assim?

– Segundo Pastor disse na igreja que montou na aldeia Kariri-Xocó, lá em Joaquim Gomes, o juiz já expediu uma liminar preventiva para o médico pagar ao exterminador com exames gratuitos no Pam Salgadinho.

– Meu Deus, Considerado, eu estou achando que você é quem vai fazer exame no lugar do Babá.

– Nem de brincadeira. O Dr. tem um metro e meio de dedo indicador.

– Agora, diga aí, tem jeito uma coisas dessas?

2 Comentários

  1. henrique disse:

    Esse médico e esse cupim são sabidos viu.

  2. BOM DIA

    SÓ SEI DE UMA COISA:

    SE ESSE GRUPO AO FINAL DO ANO, REALIZASSE UMA ELEIÇÃO PARA VER QUAL MEMBRO DO GRUPO É O MAIS MÃO FECHADA PRA PAGAR ALGUMA COISA, A DISPUTA SERIA ENTRE O MEDICO X UM MAGISTRADO.

Deixe o seu comentário