27 de abril de 2015 • 2:24 pm

Cotidiano

O impune abandono do prédio da Secretaria de Educação do Estado

O prédio foi fechado em 2011 e de lá para cá não recebeu sequer uma pincelada de cal. Uma obra chegou a ser prometida e anunciada em ano eleitoral. Só promessa.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
O descaso impune contra a educação

O descaso impune contra a educação

O retrato fiel e impune da educação no Estado de Alagoas está representado no abandono total do prédio da Secretaria Estadual da Educação, em pleno centro de Maceió. O prédio foi fechado em 2011 e de lá para cá não recebeu sequer uma pincelada de cal.  A reforma chegou a ser anunciada pelo governo de Teotônio Vilela Filho (PSDB), ainda na gestão do então secretário de Educação, Rogério Teófilo, mas nada se consecretizou. O governo propagandeou que investiria R$ 1,9 milhão para deixar a sede da secretaria novinha em folha, mas foi tudo uma promessa. Tanto que até hoje as portas estão fechadas e quem passa em frente se assusta com a deplorável situação de descaso promovido pelo governo tucano. A secretaria está alojada precariamente em um prédio do antigo Cepa.

Em matéria veiculada na TV, em fevereiro de 2014, o então coordenador Especial de Infraestrutura da SEE, Djaci Magalhães, apresentou um novo projeto de reforma e ampliação do referido prédio, estimado em R$ 12,4 milhões. Segundo ele, os recursos seriam provenientes do Ministério da Educação (MEC), por meio do Plano de Ações Articuladas (PAR), e que as obras ainda seriam iniciadas naquele ano, com duração de aproximadamente 1 ano e 6 meses.

As promessas então foram se repetindo de 2011 em diante, tanto que  em fevereiro de 2014, em pleno ano da eleição, o então coordenador Especial de Infraestrutura da SEE, Djaci Magalhães, divulgou um projeto de reforma e ampliação do referido prédio, só que desta vez o orçamento pulou escandalosamente para R$ 12,4 milhões. Foi dito na oportunidade que as obras seriam iniciadas em no mesmo ano, embora a legislação eleitoral não mais permitisse tal procedimento. Era mesmo algo para tentar atrair a atenção do eleitorado.

Agora abrigo de deseocupados e marginais

Agora abrigo de deseocupados e marginais

O caso em si gerou um inquérito do Ministério Público, numa ação movida pela promota Cecília Carnaúba. Acontece que como tudo é muito lento em Alagoas, sobretudo quando autoridades poderosas envolvidas, praticamente nada evoluiu no que diz respeito a punição dos responsáveis pelo descaso com a educação estadual. O novo governo ainda não se manifestou efetivamente ainda sobre o que será feito da sede da secretaria.

Enquanto isso, desocupados, e drogaditos estão transformando o prédio em um antro de prostituição e consumo de drogas. Resta saber agora quem vai pagar por isso e até quando a sociedade terá que conviver com tamanha estupidez administrativa que só prejupizos está trazendo para os cofres da Fazenda estadual.

Deixe o seu comentário