24 de julho de 2015 • 10:27 am

Economia

O olhar de cobiça de autoridades para R$ 500 milhões do AL Previdência

O dinheiro parado na conta do Fundo Previdênciário chama a atenção de novos gestores

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O Instituto Alagoas Previdência vive permanentemente na corda bamba, graças ao olho gordo de cada gestor para as contas do Fundo. No governo passado foi vitima de um golpe de R$ 200 milhões. Hoje, com R$ 500 mihões em caixa está chamando a atenção de setores importantes da máquina pública.

A discussão no âmbito de técnicos fazendários importantes é que com todo esse dinheiro em caixa, o governo Renan Filho (PMDB) poderia está vivendo uma situação financeira mais tranquila. Ou seja, atualmente há quem defenda que esses recursos sejam transferidos para a conta única do Estado.

Para isso acontecer um projeto terá que ser enviado à Assembleia Legislativa, como fez antecessor de  Renan, o governador Teotônio Vilela, quando com a autorização do parlamento estadul retirou R$ 200 milhões do fundo AL Previdência para pagar a folha do décimo terceiro, com a promessa de que depois devolveria o dinheiro via Fazenda Estadual.

Vilela chegou a tomar um empréstimo internacional para repor o dinheiro do fundo, mas apenas a metade retornou para o lugar de origem. O dinheiro do fundo é fruto do recolhimento dos servidores públicos, descontados em folha, e dos repasses dos demais poderes estaduais.

De acordo com informações de parlamentares na própria Assembleia Legislativa, se operação semelhante a de Vilela acontecer agora, diante do cobiçado olhar de autoridades, a quebradeira do AL Previdência será inevitável.

Crítica -Por sua vez, em momento diferenciado e em recente conversa com a imprensa, o presidente do Tribunal de Contas, Otávio Lessa, criticou o sistema de previdência estadual, que normalmente causa impacto no limite prudencial da Lei de Resoponsabilidade Fiscal do Estado.

A mesma história ocorre nos municípios, a cada revisão do cálculo atuarial, que dimensiona os compromissos do plano de benefícios e de custeio. Na caso do AL Previdência, o governo passado, segundo Lessa, criou um Fundo “completamente alucinado”, à medida que está permanentemente inserido no limite da LRF.

Mas, no governo atual, a preocupação dos técnicos e beneficiários do AL Previdência é outra completamente diferente. Segundo informações que estão sendo levantadas por parlamentares. É o dinheiro parado em conta chamando a atenção.

Deixe o seu comentário