17 de Abril de 2016 • 11:48 pm

Política

O oportunismo e a incoerência de parte da bancada de Alagoas na hora do voto

Maurício Quintella e Arthur Lira usaram e abusaram das benesses do governo e mudaram de última hora.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A bancada de Alagoas encerrou o processo de votação. Apenas  três deputados Paulão (PT), Givaldo Carimbão (PRB) e Ronaldo Lessa (PDT) votaram contra o impeachment. O primeiro por ser o presidente estadual do partido do governo já era esperado.

Lessa era um voto indeciso, mas o partido dele, o PDT fechou questão e recomendou o voto contra ao impeachment.

Quintella: Foi governo todo o tempo.

Quintella: Foi governo todo o tempo.

O deputado Maurício Quintella (PL), depois de passar todos os seus mandatos pendurado nos cargos federais, negociou com Temer e Cunha e decidiu votar de última hora a favor do impeachment. O mesmo fez o deputado federal Arthur Lira (PP), também denunciado no escândalo da Lava Jato.

JHC (PSB), Cícero Almeida (PMDB) e Pedro Vilela, este último até por ser do PSDB, já haviam manifestado anteriormente o voto a favor do impeachment. O deputado federal, Marx Beltrão, navegou dos dois lados e nos últimos instantes decidiu votar a favor do impedimento.

Deixe o seu comentário