29 de maio de 2015 • 11:09 am

Bleine Oliveira » Blogs

O protesto dos rodoviários é um ‘tiro no pe’

Os rodoviários têm nas mãos um forte instrumento de poder. Eles podem parar a indústria, o comércio, o serviço público. Afinal, sem transporte, o trabalhador não chega para abrir o…

Por: Bleine Oliveira
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Os rodoviários têm nas mãos um forte instrumento de poder. Eles podem parar a indústria, o comércio, o serviço público.

Afinal, sem transporte, o trabalhador não chega para abrir o portão da fábrica, as lojas, a repartição.

Mas, ao suspender a operação, eles atiram no pé.

Os patrões não perdem nada, já que as duas horas paradas, como fizeram na manhã desta sexta-feira, 29, serão recuperadas quando os ônibus voltam a circular.

Os coletivos ficam lotados. O trabalhador segue insatisfeito, pelo atraso, e espremido feito sardinha em lata.

Pense numa raiva!

Quem acompanhou as manifestações nos programas de rádio percebeu que, embora reconheça que as reivindicações são legítimas, o trabalhador não aceita pagar a conta de uma dívida que não é sua.

Por que os rodoviários não rodam com catraca livre durante os protestos?

Punossasinhora, sindicalistas, melhorem!

1 Comentário

  1. Os movimentos sindicais sofreram um grande abalo com a entrada da “esquerda” no Poder. Boa parte dos sindicalistas vendem seus passes aos patrões, fazendo cena perante os trabalhadores mas, na prática, sequer esperam um decisão judicial que eventualmente julgue ilegal a greve. A greve tem muitas vezes mais importância para o patronato, do que para os trabalhadores, pois no caso dos ônibus visam o aumento da passagem. O trabalhador escolhe mal seus políticos e agora também seus representantes sindicais. A compra de voto vai de vereador, sindicalista e outros representantes de classe e até os dirigentes da FIFA.

Deixe o seu comentário