27 de Janeiro de 2017 • 12:34 pm

Blogs » Marcelo Firmino

O sofrimento de Zé da Emater em Olho D’Agua: além da seca, os débitos da Prefeitura

Município vai entrar meses só administrando débitos

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O prefeito de Olho D’Água do Casado, Jose dos Santos – Zé da Emater (PT) –  vai terminando o primeiro mês de administração sem saber o que é um centavo sequer  para investir no município. Isso por que a conta única da administração não tem fundos.

Zé da Emater: conta zerada na prefeitura

O pior é que o gestor também vai passar o mês de fevereiro zerado. Sem um tostão furado, para o desespero geral de todos dentro do novo governo municipal.

A questão, segundo disse, é que herdou a Prefeitura com débitos de INSS e 13º salário e restos da folha de dezembro que chegam a R$ 1 milhão, além de um parcelamento de débito anterior da própria previdência que chega a R$ 100 mil mensais, tudo isso para fazer frente a uma receita do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) na ordem de R$ 600 mil.

Dos recursos do FPM, obritoriamente ele demanda 25% para a Educação, o que representa R$ 150 mil. Mais 15% para a saúde pública, que são mais R$ 90 mil, sem falar nas folhas de pagamento do pessoal com mais de mil servidores entre efetivos e comissionados.

Resultado, até conseguir equilibrar os recursos do município, Zé da Emater vai passar por um drama considerável por que a curto prazo não vislumbra como tirar a administração do vermelho diante das dívidas que se acumulam.

Ele decidiu fazer uma auditoria na folha de pagamento e além disso pretende renegociar com o INSS o débito total do município. mas a expectativa dele é ir buscar r$ 4 milhões de ISS que a empreiteira OAS deve a Prefeitura e mais o débito da OI telefônica, cujo valor ainda não foi mensurado.

Conseguindo isso, Zé da Emater acredita que vai respirar na administração.

Até lá, os horizontes no sertão são secos, sem sombra, nem água fresca.

Deixe o seu comentário