21 de abril de 2017 • 10:07 am

Blogs » Marcelo Firmino

Ódio aos políticos gera cegueira e oportuniza ‘salvadores da situação’

João Dória e Jair Bolsonaro se projetam nessa onda, com o apoio do marketing manipulador

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O ódio aos políticos, assim como o ódio ao PT no País,  se avolumou no imaginário da população de forma avassaladora que foi capaz de gerar convicções as quais causaram a cegueira coletiva. Sem dúvida um sentimento poderoso.

Imagine os grandes meios de comunicação falando mal o dia inteiro de algo ou de alguém, aonde isso pode levar?Forma-se o senso comum que, naturalmente, cega as pessoas, após essas absorverem o sentimento do ódio como se fosse uma atitude de nobreza inerente.

Ao tempo em que isso acontece de um lado, do outro, exatamente devido a cegueira, abre-se espaço para qualquer um que desponte como salvador da pátria amada e que atue nos moldes dos mais diversos pastores de almas das universais igrejas da vida de então.

Cegos-Midway-Mall_Natal_Anny-Bezerra

É como se esses emergentes de ocasião surgissem para reconfortar corações e mentes invadidas pelo ódio, que foi criado exatamente pelos interesses de além mar, ou da lagoa de cá, a partir de uma produção de marketing de alto conteúdo manipulador, que, graças ao ódio, reverbera com facilidade na mídia aberta para cumprir esse papel.

O País vive essa encruzilhada e quem fomentou a cultura do ódio sabe bem por que o fez. Não é à toa que o momento oportuniza o surgimento de “salvadores da situação”. Eles vêm feitos lobos travestidos de cordeiros. São alimentados  pelo marketing manipulador.

O atual prefeito de São Paulo, João Dória, se projeta como o expoente dessa nova onda em que o ódio impede a percepção clara das mentes em desconforto. E aí não se pode culpá-lo por maximizar a oportunidade que está tendo. Além dele,  Jair Bolsonaro, fiel à sua filosofia de diretita e ao seu estilo de vida preconceituoso, tirano, mas bem ao gosto de parte dessa gente que estar a dizer que não quer saber de política, mas a pratica nessa direção.

Se tudo isso é da natureza humana, os embates terão conitnuidade em meio as convicções de cada ser, independentemente de ideologias, mas todos carregando consigo um grosso caldo de oportunismo político por razões óbvias.

Mas, há os que embarcam nessa onda por razões que ela própria desconhece.

Deixe o seu comentário