14 de maio de 2016 • 10:19 am

Saúde

PAM Salgadinho reabre nesta segunda-feira, parcialmente reformado

Unidade está fechada há cerca de cinco meses, por falta de condições estruturais para atendimento médico e prestação de serviços em saúde

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Foto Pei Fon / Secom Maceió

Foto Pei Fon / Secom Maceió

Fechado há cerca de cinco meses, por falta de condições estruturais para atendimento médico e prestação de serviços em saúde, o PAM Salgadinho reabre na próxima segunda-feira (16). É o que promete a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Não será, ainda, uma reabertura plena. De acordo com o que foi divulgado, foram totalmente reestruturados os blocos A, B e C. Outros três blocos: J, L e N, receberam pequenos reparos e tambám serão reabertos. Contando com os blocos I e O (onde funcionam os serviços de atendimento a pacientes com DST/Aids, e o Centro de Reabilitação, e que já haviam sido liberados), o PAM Salgadinho reabre com oito unidades em funcionamento.

O secretário municipal de Saúde, José Thomaz Nonô, explicou que, à medida que o posto avançado for reabilitando sua estrutura de atendimento, os médicos e demais profissionais que haviam sido realocados para outas unidades de saúde, durante a reforma, retomarão seus postos no PAM Salgadinho.

ENTRAVES

As precárias condições estruturais do PAM Salgadinho vinham sendo denunciadas há anos. No final do ano passado, quando a Secretaria Municipal de Saúde passou a exigir assiduidade dos profissionais de saúde, com controle por ponto eletrônico, a falta de condições de trabalho foi apontada como principal motivo de uma prolongada greve deflagrada pelos médicos, que culminou no fechamento da unidade, um janeiro deste ano.

De acordo com a SMS, um dos fatores que vinham atrapalhando as obras na unidade era o não reconhecimento de dominialidade do prédio, pertencente ao antigo Inamps. Sem isso, o Município não podia executar os recursos  liberados pelo Ministério da Saúde para reforma. E para comprovar essa dominialidade, faltava o documento de posse ou cessão do imóvel, que só foi localizado com ajuda do gerente executivo do INSS em Alagoas, Edgar Barros, segundo reconheceu o secretário José Thomaz Nonô.

Com isso, segundo ele, a SMS conseguiu destravar os processos em Brasília e os recursos foram liberados, possibilitando a reforma. A meta estabelecida pela Prefeitura é entregar a unidade totalmente reestruturada até o final deste ano.

 

 

Deixe o seu comentário