15 de maio de 2016 • 12:38 pm

Maceió » Saúde

Paulão acusa fracasso de Rui Palmeira na gestão da saúde pública em Maceió

Deputado lembrou o desvio de mais de R$ 6 milhões na Secretaria de Saúde, apontado em auditoria do Denassus.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O caos na saúde pública em Maceió está ligado diretamente a malversação dos recursos pelos gestores públicos do governo do prefeito Rui Palmeira (PSDB), segundo destacou o deputado federal Paulão (PT), ao ser questionado sobre a crise no setor.

Paulão: fracasso de Rui

Paulão: fracasso de Rui

Segundo ele, Maceió teve o pior desempenho na gestão da  saúde pública, entre as capitais brasileiras, conforme dados do Ministério da Saúde. O agravante dessa história na visão do parlamentar, pré candidato a prefeito da capital, é que o próprio Ministério ao fazer uma auditoria nos recursos da saúde na Prefeitura da cidade, constatou que o governo Rui Palmeira desviou mais de R$ 6 milhões do setor. O rombo foi reveado pelo Denassus, após denúncias do Conselho Municipal de Saúde.

Essa situação, disse o deputado, trouxe problemas para a toda a rede de atendimento, atingindo inclusive o Pam Salgadingo. “É  inadmissível que o maior Centro de Atendimento do Brasil, a unidade PAM Salgadinho, esteja totalmente desestruturada, com reformas não finalizadas e vários serviços essenciais desabilitados”, acrescentou.

Ele destacou ainda que o PSDB tem defendido uma proposta de privatização do atendimento da saúde, o que, naturalmente, deixará a população que mais precisa sem o atendimento básico necessário. “Não podemos aceitar que a alternativa para caos na saúde municipal, seja a privatização, por meio das OSs e terceirizações como foi apresentado pelo atual gestor municipal”.

Paulão declarou ainda que o município, segundo o Ministério da Saúde, apresenta uma baixíssima cobertura cobertura na atenção básica, dificultando o acesso da população aos serviços de saúde pública, ocasionando longas filas e demora no agendamento de consultas e procedimentos. Em Maceió aproximadamente 500 mil pessoas não tem acesso ao SUS.

– O pior é que o prefeito de Maceió, quando esteve em campanha para se eleger, fez promessas mirabolantes para a saúde pública e o que se apresenta agora é o fiasco, a mentira deslavada do gestor. Prometeu inclusive uma nova maternidade na cidade e o que fez, no entanto, foi fechar a marternidade Denilma Bulhões, no Benedito Bentes. – Reforçou o deputado.

Por fim, disse que o prefeito de Maceió precisa assumir suas responsabilidades, seu fracasso, e não ficar atribuindo o problema a terceiros, “quando o que faltou na cidade foi uma gestão da saúde qualificada”.

 

Deixe o seu comentário