24 de novembro de 2015 • 6:42 am

Política

Paulão cobra substituição das pontes do aeroporto Zumbi dos Palmares

A preocupação, segundo ele, é com o aumento do fluxo no aeroporto neste fim de ano

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Paulão: cobrança pelo aeroporto.

Paulão: cobrança pelo aeroporto.

No plenário da Câmara dos Deputados, nesta  segunda-feira, 23, o deputado federal Paulão  pediu a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária  (Infraero)  que agilize a substituição de pontes  de embarque e desembarque do Aeroporto Zumbi dos Palmares, de Maceió,  que estão paralisadas em virtude de problemas estruturais.

Paulão explicou que conforme informações dos presidentes da Abav-AL, Carlos Palmeira, e do Sindetur-AL, Afrânio Lages, os passageiros estão sendo obrigados a desembarcar longe do terminal, expostos ao sol e chuva, o que causa uma impressão negativa logo na chegada à capital alagoana.

“A preocupação maior é com o aumento do fluxo no final de ano, pois Maceió é um dos destinos turísticos mais procurados nesse período. Se a situação continuar como está, podem ocorrer grandes transtornos para os passageiros”, disse Paulão.

Segundo o petista, a Infraero deve providenciar a substituição das pontes que já foram licitadas e homologadas, faltando apenas as providências finais para a conclusão do processo de troca das referidas passarelas.

“Faço um apelo para que a Infraero dê prioridade a essa questão e providencie um suporte digno para o Aeroporto de Maceió. Também fiz pedido de audiência com a presidência da Infraero para tratar desse assunto”, destacou.

Luto nos Correios – O deputado Paulão também registrou, no plenário, sentimento de pesar pela morte de cinco funcionários dos Correios da Cidade de Arapiraca (AL), em decorrência de acidente de carro ocorrido no último dia 17, na  rodovia  AL-220. “Minha solidariedade aos familiares desses honrados profissionais que perderam a vida enquanto estavam a serviço, cumprindo suas obrigações.  A empresa está abalada  e os alagoanos, como um todo, também sentiram muito a perda desses profissionais que representavam uma das instituições com maior credibilidade no país”, afirmou.

 

Deixe o seu comentário