9 de dezembro de 2017 • 10:51 am

Política

Paulão condena governo pelo corte de 98,5% dos recursos do SUAS

Deputado manifestou na Câmara solidariedade a moção de repúdio dos vereadores de Igreja Nova

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Em discurso lido na Câmara dos Deputados na semana que passou, o deputado federal Paulão manifestou irrestrita solidariedade ao povo e à Câmara Municipal de Igreja Nova pela moção de repúdio aprovada contra o corte de 98,5% do sistema único de serviço social,  (SUAS) no orçamento da união.

Disse o deputado na tribuna que a  atitude “do governo do senhor Michel Temer, o golpista de plantão, representa tão somente uma agressão aos direitos da cidadania, como bem disse em seu texto a moção dos vereadores de Igreja Nova”.

Paulão: apoio a moção de Igreja Nova

Para o deputado, a  atitude do governo ao cortar os recursos do suas significa um descalabro monumental, pois deixa sem proteção milhares de famílias em situação de vulnerabilidade no país inteiro.

Os dados levantados pelos vereadores de igreja nova indicam que só em Alagoas, a redução de 98,5% do SUAS significa o fechamento de centenas de Centros de Referências de Assistência Social (CRAS), além dos Centros de Referência Especializado de Assitências Social (CREAS), que também atendem milhares de pessoas em todo o estado. “Soma-se a isso a drástica redução dos cadastros do programa bolsa família”, destacou.

Paulão declarou que “é criminoso  o ato desse de Michel Temer. Ele retira os recursos que promoviam o desenvolvimento social e  passa,  por outro lado, a perdoar dívidas bilionárias dos ricos do país, com seu programa de refinanciamento de dívidas tributárias. É o preço do golpe contra o povo pobre do Brasil”.

Acrescentou ainda que não satisfeito Temer ainda está a distribuir recursos da União com seus aliados para aprovar essa malfadada proposta de reforma da previdência, “para poder atender as exigências dos banqueiros, donos de previdências privadas, eles que financiaram o golpe para esse presidente de meia tijela chegar ao poder”.

O deputado cobrou um posicionamento dos seus pares na Câmara Federal e manifestou total solidariedade a população de Igreja Nova que mais precisa de apoio dos instrumentos de desenvolvimento social do governo federal

Deixe o seu comentário