15 de fevereiro de 2017 • 7:50 am

Política » Saúde

Paulão denuncia Rui na Câmara por descaso no combate a Chikungunya

No plenário, deputado disse que entidades médicas alertaram que doença vai atacar 350 mil pessoas

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A epidemia de doenças derivadas da picada do mosquito Aedes Aegypti, como a dengue, zika e a chikungunya, em Maceió, foi denunciada na Câmara dos Deputados pelo deputado federal Paulão (PT), como um caso de desrespeito a população, uma vez que a prefeitura municipal não fez o seu dever de casa na prevenção de combate ao mosquito.

Paulão: acusa descaso de Rui.

O parlamentar falou no expediente da Câmara que os dados revelados pela Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) e Sociedade Alagoana de Reumatologia (SAR) são assustadores e atestam a total falta de compromisso da Prefeitura com a saúde pública do maceioense.

De acordo com os dados, o deputado denunciou em plenário que este ano 350 mil maceioenses vão ser vítimas da Chikungunya “e 100 mil pessoas terão dores crônicas incapacitantes terríveis, como revelaram os médicos das instituições que fizeram a pesquisa”. Trata-se, disse Paulão, de um desrespeito e uma agressão estúpida à população.

Ele lembrou no plenário da Câmara que os dados foram revelados pelos médicos George Basile, da SBR, e Celso Tavares, da SAR, considerados dois especialistas que lidam no dia a dia com as angústias dos alagoanos, devido as doenças provocadas pelo mosquito.

-É inconcebível o descaso do prefeito tucano Rui Palmeira (PSDB) com a saúde pública na capital. A situação relatada pelas duas entidades médicas simbolizam o fracasso da gestão no que diz respeito a prevenção necessária contra essas doenças e mesmo ao atendimento às pessoas que mais precisam, principalmente por que se sabe que a falta de medicamentos para os usuários do SUS é uma constante na farmácia municipal. – Declarou.

Disse ainda que a simbologia se estende para a falta de compromisso de um governo elitista, cujos olhos só estão voltados para as áreas nobres da capital e para a ansiedade de criar tributos para penalizar o contribuinte do município.

Deixe o seu comentário