4 de setembro de 2017 • 12:15 pm

Blogs » Marcelo Firmino

Paulão diz que a política social de Temer é ampliar a exclusão no País

Deputado diz que Temer jogou na lata do lixo as políticas públicas

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O governo Temer jogou na lata do lixo as políticas sociais que tiraram milhões de pessoas da miséria e agora se percebe o crescimento célere da pobreza, principalmente na região Nordeste.

A contextualização da visão acima é do deputado federal Paulão (PT-AL), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

Em entrevista ao jornalista Rogério Costa, na Rádio Gazeta, nesta segunda-feira, 04, o deputado destacou que os alagoanos têm sentido na pele essa situação, considerando que 72% da população ganha até um salário mínimo. Segundo ele, esse dado foi revelado em estudos do professor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) Cícero Péricles, doutor em economia.

Paulão: pobreza vai ser maior no Nordeste

A situação verificada atualmente, na visão de Paulão, é consequência do “golpe de Temer e de partidos a ele aliados, que se apoderaram do poder para favorecer as grandes corporações e o capital financeiro do País”.

Observou que basta perceber as ações de Michel Temer. Ora entrega reservas ambientais da Amazônia para exploração das mineradoras, ora anistia débitos bilionários no agronegócios e agora está promovendo estudos para isentar de imposto de renda os ricos do País, “que investem em Letras de Crédito Imobiliário e outros mais”.

Aliás, disse o parlamentar, que hoje é um defensor da Contribuição Por Movimentação Financeira (CPMF) por ter sido convencido de que este é o imposto mais democrático do mundo, uma vez que tributa proporcionalmente todas as camadas sociais. “Mas, os ricos não aceitam. Portanto, esse precisa ser um ponto chave em uma futura reforma tributária no País”, assinalou.

O deputado disse não ter dúvida de que este modelo de governo adotado por Temer vai ampliar a pobreza no País, gerando uma exclusão social perversa e desumana.

Deixe o seu comentário