18 de maio de 2017 • 1:47 pm

Blogs » Fátima Almeida

Perdeu, playboy! – Mais um capítulo da triste história da corrupção no Brasil

Na Operação Patmos, Aécio Neves livra-se da prisão, mas é afastado do mandadato

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Foi por pouco! Alvo da Operação Patmos, deflagrada na manhã desta quinta-feira (18), pela Polícia Federal, o senador Aécio Neves (MSDB-MG) ficou na mira, mas escapou de ser preso. Pelo menos por enquanto e não se sabe até quando. O relator da Lava-jato, ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachini , negou o pedido de prisão feito pela Procuradoria Geral da República (PGR) contra ele – preferiu deixar essa decisão para o Pleno.

Mas acatou o pedido de afastamento do senador, das funções do cargo, também feito pela PGR logo após a denuncia de que ele teria recebido – segundo delatores – a quantia de R$ 2 milhões aos donos do frigorífico JBS.

Logo cedo a Policia Federal começou a cumprir os mandatos de busca e apreensão nos endereços de Aécio Neves e Zezé Perrella – que também virou alvo da operação porque, segundo as investigações, seria o guardião da dinheirama solicitada por Aécio.

Da residência do senador, em Brasília, a PF saiu, por volta das 8h20 com um malote. No mesmo horário outro grupo de policiais realizava buscas nos gabinetes do Senado e no apartamento da irmã de Aécio, que não teve a mesma sorte. Andréa Neves foi presa.

O senador tenta explicar o que, por si só, já se revela. Em sua defesa, Aécio diz o que todos os outros costumam dizer: “Estou tranqüilo quanto à correção dos meus atos”, e arremata dizendo que aguarda mais informações para esclarecer tudo à população.

Tomara! Ninguém aguenta mais tanta bandalheira, venha de que lado for.

Diante do movimento da Operação, hoje pela manhã, um buzinaço deu o tom da indignação.

Enquanto isso, na vitrola do boteco, Zeca Pagodinho, que ensaiava: “Você sabe o que é caviar? Eu não sei, nunca vi, eu só ouço falar!”, é interrompido por Bezerra da Silva: “Se gritar pega ladrão…”

EM TEMPO!

A Operação Patmos foi assim denominada, em referência à ilha grega onde, exilado, o apóstolo João escreveu o livro bíblico “Apocalipse”.

É isso.

De bíblica, toda essa história que se passa no Brasil, só tem mesmo o apocalípse. Mas, infelizmente, ainda não é o fim!

Deixe o seu comentário