Personalidades

10 de outubro de 2017

No Jardim do Deodoro, 40 anos de música de Ibys Maceió, nesta terça

Artista se apresenta no Antropofágico Miscigenado

29 de setembro de 2017

Martinho da Villa lança livro na Bienal e participa de ‘conversas negras’

Artista chama alagoano para prestigiar a Bienal Internacional do Livro

28 de setembro de 2017

Clayton Alves: Um alagoano no elenco do filme ‘Entre Irmãs’, de Breno Silveira

Produção tem pré-estreia marcada para esta sexta-feira (29), em Recife

29 de agosto de 2017

Audálio Dantas faz palestra no ‘Chá de Memória’ do Arquivo Público

Jornalista e escritor Audálio Dantas, alagoano de Tanque D’arca, é premiado pela ONU

21 de agosto de 2017

Cantor Fagner diz que foi apunhalado por Aécio Neves

Cantor disse que Aécio lhe deve desculpas pessoalmente

4 de agosto de 2017

Luiz Melodia parte depois de colorir o por do sol no coração do Brasil

Morre um dos maiores talentos da música popular brasileira

25 de julho de 2017

Andrea Almeida representa Alagoas no primeiro reallity show de moda

Competição acontece em Maringá (PR) com 30 participantes de todo o Brasil. A disputa já começou

Belchior partiu, reto, repleto e presente infinitamente

30 de abril de 2017 • 1:00 pm
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Difícil encontrar uma pessoa da minha geração, com ouvidos abertos à boa música, que não tenha cantado a plenos pulmões, “eu sou apenas um rapaz, latino ameicano sem dinheiro no bolso”. Que não tenha soltado a voz com sentimento na poesia e na melodia do grande Belchior, um cearense arretado que marcou época com grandes canções na déacada de 80.

Belchior: marcou época

A vida calou a voz de Belchior e ele partiu. Aos 71 anos. O sentimento é de perda mesmo. “Nossos ídolos ainda são os mesmos e as aparências não enganam não…”

Belchior foi mais que um ídolo. Foi um filósofo a serviço da Música Popular Brasileira. Agora, mais do que nunca, é eterno. Nos embalou em momentos duros dizendo-nos que por mais que vivamos e façamos “ainda somos os mesmos, como nossos pais”.

Pois é. Partiu Belchior. Ele viveu sua “alucinação” e quem sabe agora, com sua ‘velha roupa colorida’, estar a viver em outro plano seu intenso ‘coração selvagem’.

Aqui fico triste, mas ao mesmo tempo encantado pela magia e beleza das composições de Belchior. Hinos da minha juventude.

Poesia direta, concreta, que torna o Belchior presente, infinitamente.

Objeto direto (Belchior)

Eu quero meu corpo bem livro do peso inútil da alma
Quero a violência calma de humanamente amar
Eu quero quebrar o quebranto do permitido e do proibido
E nego o que nega os sentidos direito e dom de gozar
A verdade está no vinho “In vino veritas”
Que me faz gauche, anjo torto
Que retempera o meu corpo nos pecados capitais
Pois a pedra no sapato de quem vive em linha reta
É a sentença concreta
Viver e brincar e pensar tanto faz
Substantivo comum um infinito presente
Este, objeto direto, reto, repleto, completo
Presente, infinitamente

22 de abril de 2017

Alagoana Camila Câncio: 1ª brasileira a obter certificação internacional da ISA

Engenheira da Braskem Alagoas torna-se primeira mulher no Brasil a conquistar certificação internacional

5 de abril de 2017

Toroca: o visionário do voleibol que conquistou a CBV por méritos

Walter Pitombo Laranjeiras foi aclamado presidente para o mandato de 2017 a 2020