10 de março de 2017 • 2:36 pm

Brasil

Pesquisa: 72,4% dos alagoanos rejeitam Temer e elegeriam Lula Presidente

Veja os números da pesquisa do Instituto Paraná

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Uma pesquisa do Instituto Paraná realizada no inicio deste mês diz que 72,4% dos alagoanos rejeitam o governo de Michel Temer. A mostra também revela que se houvesse eleições para a presidente da República nos dias de hoje, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT), ganharia no Estado com 39% das intençõs de votos.  A pesquisa foi divulgada na imprensa brasiliense.

Segundo o portal Poder360, os números da pesquisa motivaram o distanciamento do senador Renan Calheiros, líder do PMDB no Senado,  do Presidente Temer. O senador tem sido nos últimos dias um critico do atual governo.

Segundo estudo do Instituto Paraná Pesquisas, 72,4% dos alagoanos desaprovam o governo de Michel Temer. Só 24,5% aprovam:

avaliacao-temer-alagoas-2

O levantamento do Paraná Pesquisas foi realizado de 6 a 9 de março de 2017 com uma amostra de 1.500 eleitores em Alagoas. A margem de erro do levantamento é de 2,5 pontos percentuais, para mais ou para menos. Leia aqui a íntegra dos resultados.

Em 2018 haverá eleições presidenciais, para governadores, Assembleias Legislativas e Congresso Nacional. Renan Calheiros, que é senador, deve tentar a reeleição em outubro do ano que vem. Ter a imagem associada a 1 governo impopular pode ser mortal para quem disputar cargos públicos diante do eleitorado alagoano.

Nos últimos dias, Renan Calheiros tem demonstrado certo distanciamento do Planalto. E já falou em comandar uma mudança no texto da reforma da Previdência. O senador acusou o governo de ceder aos desejos do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha.

Renan Calheiros comanda a maior bancada do Senado, com 22 integrantes (a Casa tem 81 cadeiras). Se o PMDB, sigla de Michel Temer, encrespar no momento de votar reformas, as coisas podem se complicar para o Planalto.

Temer: rejeição total

O partido costumeiramente tem esse tipo de atitude no Congresso. Cargos e verbas do Orçamento sempre funcionam para acalmar os ânimos. Mas agora há o cenário eleitoral de 2018 e a alta impopularidade de Michel Temer no Nordeste –e esses 2 fatores podem agregar complexidade à fórmula para conter o aumento do mau humor de Renan Calheiros.

SUCESSÃO PRESIDENCIAL EM ALAGOAS

O cenário fica claro quando se observa o resultado da sondagem que o Paraná Pesquisas fez a respeito da eleição presidencial em Alagoas.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera todos os cenários testados. Pontua de 39% a 39,6% das intenções de votos. Michel Temer fica com 3,5% a 4,3%. Os tucanos têm taxas modestas: Aécio Neves registra 10,2% e Geraldo Alckmin fica com 6,3%.

O Paraná Pesquisas já fez 1 cenário para testar o nome do prefeito de São Paulo, João Doria, que é filiado ao PSDB, entre os alagoanos. Ele marcou 4%. O percentual é modesto, mas fica empatado na margem de erro com seu padrinho político, Geraldo Alckmin, que teve 6,3%.

Eis os 3 cenários testados para a sucessão presidencial no Estado de Alagoas:

intencao-1intencao-2intencao-30

TUCANOS EM ALAGOAS

O Paraná Pesquisas perguntou aos eleitores alagoanos qual nome do PSDB “teria mais chance” de ganhar o voto do entrevistado. O percentual mais alto foi para nenhum, com 26,6%. Eis os resultados obtidos:

presidenciaveis-psdb-2

(Com Poder360)

Deixe o seu comentário