13 de Janeiro de 2017 • 3:32 pm

Brasil » Economia

Petrobras abre licitação com empresas estrangeiras e exclui brasileiras

Reagindo a decisão, entidades iniciam movimento nacional em defesa da estatal e da engenharia brasileira. Em Alagoas, líder da Frente Parlamentar da Engenharia Nacional, Ronaldo Lessa, marcou uma coletiva de imprensa no Crea-AL para segunda-feira

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Entidades representantes da engenharia de todo País se mostraram incomodadas após descobrirem que a Petrobras abriu um processo licitatório, para retomar a construção da Unidade de Processamento de Gás Natural do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro, convidando 30 empresas estrangeiras e nenhuma brasileira. A decisão incomodou tanto, que uma grande mobilização intitulada “Em defesa da Petrobras e da Engenharia Brasileira” começa a se formar no País. E o ponto de partida é Alagoas. O deputado federal e líder da Frente Parlamentar Mista de Engenharia Nacional, Ronaldo Lessa (PDT) está realizando com o apoio de entidades ligadas ao desenvolvimento do Brasil, como o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL), o Sindicato da Industria e Construção Civil de Maceió, a as Federações Nacional dos Engenheiros e das Indústrias do Estado de Alagoas, uma coletiva de imprensa, marcada para a próxima segunda-feira, dia 16, às 9h30, no auditório do Conselho alagoano.

Lessa alerta pela exclusão das empresas do País no certame. Para ele, esse tipo de medida prejudica o desenvolvimento do Brasil e afronta até a qualificação dos profissionais brasileiros. “Vamos reagir a essa medida inconsistente da estatal. Fui provocado pelo Sindicado de Engenharia do Rio de Janeiro e as cobranças estão chegando. Não podemos retirar os nossos profissionais de uma obra desse porte. Sei que temos competência para executar o serviço. Por isso estamos mobilizando a engenharia brasileira, em especial as entidades regionais ligadas a área técnica, para discutir uma solução deste problema”, disse o parlamentar.

Compartilhando a mesma preocupação de Lessa e do conceito do projeto Engenharia Unida, acampado pela FNE, o presidente do Crea Alagoas, Fernando Dacal, chamou a atenção para empresas que estão entrando no Brasil sem a devida habilitação do Sistema Confea/Crea. “Precisamos reforçar a fiscalização e, caso encontremos irregularidades, coibir a entrada de empresas sem a devida habilitação do Sistema Confea/Crea, responsável pela fiscalização do exercício profissional. Nós que fazemos parte da Engenharia Unida, temos como missão agregar as instituições do País com o objetivo de alavancar o desenvolvimento. Esse tipo de ação feita pela Petrobras desqualifica nossos profissionais”, disse Dacal.

Efeito Lava-Jato

Pedro Parente, presidente da Petrobras.

De acordo com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, a companhia não faz distinção entre empresas estrangeiras e nacionais. Entretanto, em função dos desdobramentos da Operação Lava Jato, as grandes construtoras brasileiras estão impedidas de participar de concorrências da companhia. O prazo para a construção da obra são de dos anos e meio e o valor investido será de R$ 2 bilhões de reais.

Foi justamente por causa da operação policial que as obras foram interrompidas, em 2015. Elas estavam a cargo da Queiroz Galvão, uma das empresas alvo das investigações, que decidiu quebrar o contrato alegando que o valor firmado com a estatal não seria suficiente para cobrir os custos.

Ainda segundo Lessa, é preciso pensar em um formato de processo licitatório que dê a oportunidades para outras empresas brasileiras participarem.

Das 30 companhias convidadas pela Petrobras para participar do processo licitatório, nove não têm nem escritório no Brasil. A lista inclui fornecedores de diferentes nacionalidades, como a Chalieco e a australiana Energy Energy. Veja a lista das empresas convidadas para a construção da UPGN:

– Acciona;

– Amec Foster Wheeler;

– Areva;

– Bechtel;

– Chicago Bridge (CB&I);

– China Aluminium Inter Eng (Chalieco);

– Energex Energy;

– Exterran;

– Fluor;

– Hatch;

– Intecsa Eng;

– Jacobs;

– JGC;

– KBR;

– Larsen & Toubro;

– Linde;

– Tecnimont;

– Naftogaz India;

– Optimize;

– Petrofac;

– Posco;

– Propak Systems;

– Rheinmetall Inter Eng;

– Sener;

– Keri;

– SNC-Lavalin;

– Thermo Design;

– Thyssenkrupp;

– Técnicas Reunidas;

– Tozzi.

 

Deixe o seu comentário