12 de julho de 2016 • 8:48 pm

Brasil » Policia

PF aponta relação de Aécio Neves com a empreiteira Andrade Gutierrez

Esquema era feito com associação presidida pela irmão do senado tucano, segundo o Estadão.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Uma associação presidida por Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves, passou a ser alvo da Polícia Federal a partir de um inquérito sobre a empreiteira Andrade Gutierrez.

Em um relatório anexado ao inquérito, a PF destaca conversas do ex-presidente da construtora, Otávio Azevedo, sobre valores destinados à irmã do tucano, além de troca de mensagens com Oswaldo Borges, ex-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais, e apontado como tesoureiro informal de Aécio.

Em uma das conversas, cujo conteúdo foi publicado nesta terça-feira (12) pelo Estado de S.Paulo, Oswaldo Borges pergunta a Otávio se era possível “falar na quinta às 19h em Sp”. Dois dias depois, Otavio responde: “Já foi feito”. Oswaldo agradece no mesmo dia: “Obrigado Otavio. Com vc funciona!!!rsrs”. As mensagens trocadas se deram, segundo a PF, no mesmo dia em que Azevedo confirmou doação para a campanha de Dilma Rousseff.

“Destaca-se mensagens de Otávio Marques e Oswaldo Borges da Costa e Otávio Marques e +556981266901 analisadas em conjunto pois é possível que estejam relacionadas à doações eleitorais”, informa o relatório da PF. Ainda segundo o agente federal Di Bernardi, autor do relatório, as “mensagens aparentemente contradizem o Termos de Declaração de Otávio no tocante a forma como se davam as doações eleitorais”.

“Observa-se que tanto na mensagem para Manoel Araujo como na mensagem para Oswaldo Borges, Otávio encaminha, praticamente no mesmo horário do dia 29/08/2014, a mensagem “Já foi feito”, sendo que ambos agradecem. Informações em fontes abertas associam Oswaldo Borges da Costa Filho à Aécio Neves (seria genro do padrasto de Aécio108)”, completa o relatório.

Ao Estado de S.Paulo, a assessoria do senador do PSDB afirmou que “as  mensagens são autoexplicativas e trazem um conteúdo absolutamente correto,  não apontando qualquer irregularidade. A troca de mensagens  publicada pelo jornal, entre Oswaldo Costa e Otavio Azevedo, foi feita no mesmo dia 29 de agosto em que foi realizada uma doação da  Andrade Gutierrez  à campanha presidencial do PSDB  de 2014, como consta da declaração feita a justiça eleitoral”.

Atualmente, o senador mineiro é alvo de dois inquéritos da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

Deixe o seu comentário