1 de novembro de 2017 • 12:59 pm

Corrupção

PF: Vereador de Maceió acusado de comprar votos é conduzido para depor

Mais de 50 inquéritos contra crimes eleitorais em Alagoas estão sendo investigados pela Polícia Federal

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A ação policial “OPERAÇÃO PENSE MACEIÓ” foi desencadeada hoje pela Superintendência Regional da Polícia Federal em Alagoas. Seis mandados de busca e apreensão e um de condução coercitiva expedidos pela 3ª Zona Eleitoral do Estado de Alagoas, em Maceió, foram cumpridos. Todos de pessoas acusadas de compra de votos na eleição passada. Um deles contra vereador Antônio Hollanda

A ação deve apurar a suposta prática do crime previsto no artigo 299 do Código Eleitoral Brasileiro, “Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita.”, através de serviços médicos e odontológicos gratuitos oferecidos em troca de votos, supostamente, praticada pelo vereador de Maceió e por pessoas relacionadas durante a campanha de 2016.

O parlamentar teria se utilizado das instalações de uma suposta entidade sem fins lucrativos, que tem como presidente uma pessoa do gabinete do vereador há mais de dez anos.

Atendimentos médicos teriam sido realizados constantemente no local à época da última campanha eleitoral de 2016, quando o candidato comparecia diariamente à sede da ONG para realizar campanha.

Também restou constatado que o consultório existente na sede da ONG, localizada no bairro do Vergel, foi fechado pouco mais de um mês após as eleições, mais um indicativo de sua utilização para fins eleitorais.

Foram mobilizados cerca de 30 policiais para cumprimento das diligências e para prestar esclarecimentos o vereador Antônio Hollanda foi conduzido à sede da PF em Alagoas. A sede da ONG investigada e o gabinete do parlamentar na Câmara Municipal de Maceió/AL também foram algos da operação.

Mais de 50 inquéritos no Estado

Durante uma entrevista coletiva nesta quarta-feira (01), o delegado o Daniel Silvestre e o superintendente da PF, Bernardo Gonçalves de Torres, confirmaram que mais de 50 inquéritos que investigam crimes eleitorais foram instaurados em Alagoas.

De acordo com o delegado Daniel Silvestre, a Polícia Federal foi demandada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) para que a PF apurasse as denúncias que apontaram compra de voto ou troca de favores. “Ao todo, foram mais de 50 inquéritos”, disse o delegado. Caso seja comprovado crime de corrupção eleitoral, o MPE pode entrar com um pedido de impugnação dos mandatos.

Deixe o seu comentário