15 de janeiro de 2016 • 8:19 am

Política

PMDB ameaça exonerar quem não votar no candidato do partido

Ronaldo Lessa acabou alertando aos demais partidos que estavam foram dessa discussão em Maceió.

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A declaração do deputado federal Ronaldo Lessa (PDT) sobre a sucessão municipal foi seguida de vários outros acontecimentos políticos o que demonstra o processo eleitoral em Maceió começou bem antes do que muito imaginavam.

As pedras estão se mexendo tão rapidamente que esta semana um dirigente do PMDB municipal declarou em alto e bom som na Secretaria Estadual de Infraestrutura, em reunião com lideranças comunitárias, que quem estiver no governo em cargos comissionados e não acompanhar a decisão do partido nessas eleições perderá o emprego.

A declaração foi revelada por um dos  líderes comunitários do Jacintinho que tem cargo comissionado e foi convocado para a reunião. Isso já mostra que, embora não tenha ainda declarado abertamente o nome do seu candidato o PMDB  já trabalha nessa articulação e não é de hoje.

No próprio Palácio do governo circulam as informações que o nome do Secretário Mosart Amaral será uma das peças do partido para compor uma chapa, caso o PMDB não lance candidatura própria.

Evidência – O certo é que Ronaldo Lessa colocou em evidência as eleições na capital e não o fez à toa. Ou para fazer um alerta e dizer que é também candidato a prefeito de Maceió ou mesmo para dizer que enquanto todos dormem e esperam pelo PMDB o partido já está em altas negociações há bastante tempo. Ou seja, Lessa pode ter feito um bem aos partidos que estão fora dessa discussão.

Desta maneira Lessa ficou no fogo cruzado do processo, mas por conta da declaração inusitada, ao pregar unanimidade no processo. Teve contra ele as declarações dos deputados federais Paulão, Cícero Almeida, Marx Beltrão e JHC.

 

Deixe o seu comentário