21 de setembro de 2016 • 9:26 am

Policia

Policiais civis fazem greve de adevertência de 24 horas

A paralisação nacional protesta contra a contra a PEC 241/2016, que impõe limite ao gasto público federal à inflação do ano anterior, por 20 anos

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Os policiais civis de Alagoas paralisam suas atividades por 24 horas, nesta quarta-feira (21), contra a PEC 241/2016 e o PLC 54/2016 (PLP 257/2016 durante tramitação na Câmara), que congelam salários e privatizam os serviços públicos. A concentração acontece no Complexo de Delegacias Especializadas (Code), no bairro de Mangabeiras, desde as 8h.

Policia civil: greve

Policia civil: greve

A paralisação nacional foi aprovada no XVI Congresso Nacional da Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol) e referendada na assembleia do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol).

A PEC 241 impõe limite de gasto público federal à inflação do ano anterior por um período de 20 anos, o que significa o congelamento salarial dos servidores públicos e de investimentos nos serviços públicos.

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol/AL), ao suspender o gasto federal, a PEC 241/2016 desestrutura o financiamento da política social brasileira e elimina a vinculação de receitas destinadas à Educação e ao orçamento da Seguridade Social. Ainda de acordo com o Sindpol, se forem considerados os investimentos no período de 2003 a 2015, a PEC 241 teria retirado 3,2 trilhões de reais de recursos federais aplicados na política social.

Os policiais temem que se a PEC for aprovada, não hajam reajustes salariais, realização de concursos públicos e investimentos nos serviços públicos, abrindo caminho para privatização e terceirização.

O sindicato também convocou uma nova assembleia geral com indicativo de greve, que deve acontecer na próxima sexta-feira (23).

Deixe o seu comentário


Publicidade