18 de Janeiro de 2016 • 10:29 pm

Maceió

Pontal merece respeito. Roubar é crime, mas facilitar o roubo, também

Pontal merece respeito. Roubar é crime, mas facilitar o roubo é muito mais

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
* Cícero Santana
Praça costruída

Praça construída no Pontal…

A falta de uma política de parceria resultou em problemas na tão sonhada praça, no Porto das Canoas, denominada Praça Américo Custódio (pioneiro na gastronomia do bairro do Pontal, através do restaurante Maré). Para construção do logradouro, os pescadores não foram ouvidos pela equipe da prefeitura, responsável pela obra. O resultado é que foi construída sem espaço ideal para as canoas, erro que gerou

Pontal -Bola7

… e depois parcialmente enterrada numa vala

um protesto no dia da inauguração da praça.

Mas o pior ainda estaria por vir. Dois dias após a inauguração, a mesma equipe que a construiu, retornou e fez uma vala, retirando os blocos de grama e colocando-os às margens por eles abertas, com um compromisso de, no dia seguinte, atender as reivindicações dos pescadores. Ficaram lá, abandonados, até o dia em que descuidista os levou.
O Pontal da Barra é um dos mais antigos bairros deste município e um dos mais participativos  no desenvolvimento da capital e, consequentemente, do estado, seja por meio do turismo, da qastronomia, do artesanato ou da pesca. O último bairro da região sul de Maceió, onde de fato e de direito, deveria ficar o terminal rodoviário. Não temos.
O recente episódio, do roubo de blocos de grama, colocados para ornamentação do logradouro, foi veiculado por várias redes sociais. Inicialmente um vídeo postado pela presidente da Associação dos Artesãos, Lígia Minim, onde mostra claramente a execução do roubo, onde a pessoa coloca os blocos em uma moto e vai embora.
Danificar o patrimônio público é crime e muito mais que isso, quando se rouba. Mas abandonar a obra também é crime.
Descuidista
Completei recentemente 50 anos de atividade jornalística, acredito que 30 como repórter policial. Veja bem. A inauguração da praça foi em dezembro. Dois dias após ser inaugurada, o município fez a vala e abandou a obra, assim como os blocos que secaram por falta cuidado. Pelo que sei, é uma obra pública. Quem foi o responsável pela grama ter secado? O descuidista ou a prefeitura? Quem praticou o crime ambiental? Seria melhor perdoá-lo.
O jornalista Eleazer Hasten publicou nota em sua coluna, que vou republicá-la na íntegra:
O secretário municipal de proteção ao meio ambiente, David Maia, denunciou no site TNH1, o roubo de placas de grama na Praça Américo Custódio, por um morador do Pontal. O local foi “urbanizado” recentemente. Segundo a matéria, no local foram investidos R$ 125 mil. Não vou defender o tal ladrão de grama. Mas, 125 mil reais para fazer uma calçadinha, plantar poucos metros de grama e umas palmeirinhas doentes… Sei não… Diante de tudo quanto o Pontal representa para o desenvolvimento deste município, deveria ser bem mais respeitado pelos órgãos públicos.
Costumo dizer que com bananas e bolo, se engana os tolos. Um adágio popular de meus avós. O Pontal necessita de alternativas para o transporte, porque ficamos até mais de uma hora esperando transporte – somos vitimas da monopolização e ninguém faz nada. Precisamos de um terminal descente, a exemplo desses que a prefeitura vem construindo em outros bairros e ampliação do posto de saúde
* É jornalista

Deixe o seu comentário