28 de agosto de 2017 • 10:31 am

Blogs » Marcelo Firmino

Pra fazer valer a indústria da multa, os pardais se multiplicam na cidade

A arrecadação é milionária mas não há fiscalização e nem transparência

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A proliferação dos pardais para multar condutores de veículos em Maceió tem chamado a atenção não apenas fiscalização do fluxo do trânsito na cidade, mas por remeter a sanha arrecadadora da Prefeitura Municipal.

Por mais que a justificativa seja de que os pardais são necessários para punir os infratores é difícil entender o festival de pardais até em cima de viadutos.

Para implantar os 10 primeiros pardais, a Prefeitura de Maceió investiu R$ 10 milhões. Ora, ninguém investe valor tão alto sem a expectativa de retorno. E retorno fácil.

Os pardais se espalham na cidade

Os pardais vão abarrotar os cofres da SMTT de recursos, sem dúvida nenhuma. Os valores não são conhecidos da sociedade. Mas, a julgar pelos custos de referências das multas é possível saber que há milhões e milhões em jogo, a cada mês. Afinal, elas variam de R$ 130,16 a R$ 880,41.

Por isso mesmo seria fundamental que houvesse transparência real sobre a aplicação desses recursos. Infelizmente, não há por parte de nenhum setor qualquer tipo de questionamento, exceto uma manifestação do deputado estadual Ronaldo Medeiros (PMDB), na Assembleia Legislativa, quando condenou a indústria da multa.

A Câmara Municipal é quem deveria estar debatendo, fiscalizando essa situação, mas se apequena por razões óbvias. Talvez por que a relação da indústria da multa com a política e os políticos seja por demais estreita, principalmente em ano pré eleitoral.

Enquanto isso, novos pardais se multiplicam e entram em operação agora em setembro. Os locais:

-Avenida Menino Marcelo (cruzamentos com os conjuntos José Tenório e Henrique Equelman);
– Avenida Rotary (em frente ao Condomínio Recanto da Rotary);
– Avenida Josefa de Melo (próximo ao Parque Shopping Maceió);
– Avenida Muniz Falcão (em frente à FAT);
– Avenida Assis Chateaubriand (próximo à entrada do Pontal da Barra e à fábrica de Gelo Sorriso);
– Avenida Silvio Vianna (entre as barracas Lopana e Kanoa);
– Rua Empresarial Jorge Montenegro Barros (na Santa Amélia, próximo à empresa São Francisco);
– Avenida Durval de Góes Monteiro (em frente à Dona Valmira);
– Avenida Governador Afrânio Lages (próximo ao Residencial Vale do Sol);
– Rua do Imperador (cruzamento com a Rua Barão de Atalaia, Centro);
– Rua Barão de Atalaia (cruzamento com a Rua do Imperador);
– Rua Melo Moraes (cruzamento com a Rua do Sol);
– Rua do Sol (cruzamento com a Rua Melo Moraes).

Os antigos pardais:

Limite de velocidade de 60 km/h:

Cruzamento da Avenida Fernandes Lima com a Avenida Rotary;
Avenida Fernandes Lima com a Rua Abelardo Pontes Lima, próximo ao Hiper Bompreço;
Avenida Fernandes Lima com as ruas Desembargador Tenório e Professor Guedes de Miranda, próximo ao Palato Farol;
Avenida Durval de Góes Monteiro até a Avenida Senador Galba Novaes de Castro, próximo ao supermercado Makro Atacadista;
Avenida Durval de Góes Monteiro, em frente à Ultragaz;
Avenida Durval de Góes Monteiro, em frente à M. Dias Branco;
Avenida Menino Marcelo, próximo ao Animakids;
Avenida Menino Marcelo, próximo ao Residencial Tabuleiro;
Avenida Governador Afrânio Lages, em frente ao acesso do Buganvilia.

Limite de velocidade de 50 km/h:

Cruzamento da Avenida Álvaro Otacílio com a Rua Engenheiro Mário de Gusmão.

Deixe o seu comentário