26 de janeiro de 2017 • 10:31 am

Interior

Prefeita da Barra de Santo Antonio denuncia estado de calamidade

Manuella Moura acusa gestão passada de ter praticado irresponsabilidades com dinheiro público

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Apesar da crise em que encontrou a Prefeitura da Barra de Santo Antonio, a prefeita Emanuella Moura (PSDB), paga os salários de janeiro no próximo dia 30, depois de constatar através do recadastramento de servidores várias irregularidades na folha salarial.

Segundo ela, há desde funcionários fantasmas a contratações para cargos técnicos sem a devida formação, e benefícios previdenciários que se estendem por cerca de 15 anos, além de pensões pagas indevidamente.

“Estamos vendo caso a caso”, diz a prefeita, que herda nesse seu mandato folhas salariais atrasadas de gestões anteriores, além dos salários de dezembro e o 13º salário de 2016. Junto com sua equipe e sob o acompanhamento do Ministério Público Estadual, Emanuella está fazendo o levantamento de todos os débitos e problemas do município. “O caos aqui é total”, define.

Manuella Moura: herdei o caos

Para se ter uma ideia da calamidade exposta pela prefeita, ela conta que praticamente todas as obras que começaram a ser construídas e as já concluídas com recursos federais no município, apresentam graves problemas estruturais. “Muitas terão que ser reconstruídas”, enfatiza, citando como exemplo dois ginásios de esportes e o muro de arrimo que deveria proteger uma comunidade de pescadores.

Engenheiros do CREA e técnicos da Controladoria Geral da União (CGU), além do MPE, já tomaram conhecimento dos problemas dessas obras. “Uma irresponsabilidade total com o dinheiro público”, critica a prefeita. “O muro de arrimo está incompleto e não consegue evitar que a água do mar invada as casas dos pescadores”, acrescenta, considerando um “absurdo” como se fazia a gestão da Barra de Santo Antônio nos últimos anos.

PRIMEIROS 30 DIAS – Dia 19, a prefeita Emanuella Moura encaminhou ao Poder Legislativo Municipal o duodécimo da Casa. “Esses recursos devem ser enviados ao legislativo até o dia 20 de cada mês, mas nas gestões anteriores se atrasava esse envio em até mais de um mês”, destaca. “O nosso governo vai trabalhar sempre com respeito e em parceria com a Câmara Municipal de Vereadores”, destaca, afirmando que essa parceria também se estenderá ao Ministério Público e movimentos sociais.

Nesses primeiros dias de gestão, entre outras ações, Emanuella fez o recadastramento do funcionalismo, reabriu o Programa Saúde da Família (PSF) garantindo condições de trabalho para três equipes, acomodou a guarda municipal em um local apropriado e levou água para o Povoado Santa Luzia, onde moram cerca de 2 mil pessoas. “Temos hoje um poço funcionando, mas estamos trabalhando para assegurar 100% de abastecimento, logo, logo”, é a expectativa da prefeita.

“Os agentes de saúde estão nas ruas, assim como o pessoal da vigilância sanitária, já temos médicos trabalhando na emergência 24 horas e, embora não exista ainda nenhuma ambulância no município, estamos fazendo, em veículos pequenos da prefeitura, os socorros de quem precisa de atendimento hospitalar em Maceió”, informa, salientando que também já está sendo providenciada a licitação para a merenda escolar. “Vamos, com trabalho e muita disposição, reconstruir a dignidade do povo da Barra”, reforça a gestora, eleita em outubro passado com 60,59% dos votos válidos.

Deixe o seu comentário