6 de maio de 2015 • 3:21 pm

Política

Prefeito de Viçosa é afastado do cargo por prática de corrupção

Juíza Lorena Vasconcelos determinou o afastamento de Faubert Filho e do Secretário de Finanças, Maxwuell Passos por 180 dias depois de constatar o desvio de recursos

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Flaubert: afastado por corrupção.

Flaubert: afastado por corrupção.

Após acatar denúncia do Ministério Público Estadual, a Justiça determinou o afastamento do prefeito de Viçosa, Flaubert Torres Filho (Pros), considerado um dos piores gestores do País. A determinação do afastamento foi da juíza da Comarca viçosense, Lorena Carla Santos Vasconcelos. Além do prefeito foi afastado do cargo também o Secretário Municipal de Finanças, Maxuell Carnaúuba Passos.

Os dois vão ficar afastados dos cargos por um prazo de 180 dias. Nesse interim ficarão com seus bens indisponíveis. O prefeito e o secretário foram processados pela prática de improbidade administrativa, crime de responsabilidade por desvio de recursos públicos, o que tipifica atos de corrupção.
Em função das medias judiciais, a juíza Lorena Vasconcelos requereu o imediato bloqueio dos ativos financeiros dos dois gestores, sendo R$ 174 mil de Falubert Filho e R$$ 110 mil do secretário dele. Foram bloqueados ainda bens imóveis, veículos, bem como estão impedidos de fazer qualquer negócio com os animais de suas fazendas.

As denúncias de corrupção na Prefeitura de Viçosa são velhas e datam desde o primeiro mandato de Flaubert Filho. A Câmara Municipal do Município se encarregou de formalizar várias delas. Hoje, o Ministério Público acusa o prefeito e o secretário de um rol de irregularidades administrativas que confuguram a improbidade e ainda acusa o enriquecimento ilícito dos dois.
O MPE ainda não contabilizou o tamanho do rombo na Prefeitura de Viçosa, o que só deverá ficar claro agora com o afastamento do prefeito e do secretário, uma vez que ambos impediam as auditorias dentro da administração municipal.

Deixe o seu comentário