5 de agosto de 2016 • 12:34 pm

Policia

Preso em Alagoas, acusado de liderar tráfico de crack em São Paulo

Mandado de prisão foi expedido pela justiça paulista e cumprido hoje pela manhã, no município de Rio Largo, onde Wladmir estava hospedado na casa da namorada.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Preso pela polícia alagoana, Wladmir é apontado como líder do tráfico de crack, em São Paulo (Foto: Eassim)

Preso pela polícia alagoana, Wladmir é apontado como líder do tráfico de crack, em São Paulo (Foto: Cortesia)

A Secretaria de Segurança Pública apresentou, durante entrevista coletiva à imprensa, no final da manhã de hoje, Wladmir Ribeiro Brito, apontado como um dos maiores distribuidores de crack de São Paulo.
Ele foi preso no Conjunto Antônio Lins, em Rio Largo, onde, segundo a polícia, estava hospedado, desde o dia 28, na casa de uma namorada. O preso confirmou que é a terceira vez que vem a Alagoas visitar a namorada, cujo nome não foi divulgado.
A prisão de Wladmir cumpre mandado expedido pelo Fórum Civil Criminal de Barra Funda, em São Paulo, e integra uma operação de combate ao tráfico, deflagrada hoje, pela Policia Civil, naquele estado. Segundo o secretário Lima Junior, da SSP-AL, eles encaminharam para Alagoas, junto com o mandado de prisão, os relatórios dos serviços de inteligência da policia paulista, que indicavam o endereço onde o preso estaria hospedado, no município de Rio Largo.
Ele foi preso por volta das 6h da manhã e não ofereceu resistência. Com ele não foram encontrados drogas nem armas, o que indica, na avaliação da SSP, que Wadmir poderia estar mesmo a passeio em Alagoas. A princípio, a polícia descartou, inclusive, a participação da namorada nas ações criminosas das quais ele é acusado.
Wladmir nega participação em organizações criminosas, disse que já foi preso uma vez em São Paulo, mas teve a inocência provada. Ele tem, nos braços, tatuagens que lembram um palhaço e um coringa, e nas costas, ocupando grande espaço, uma imagem que remete ao imaginário do diabo.
De acordo com o delegado geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, que acompanhou o secretário na coletiva, o preso será mandado de volta para São Paulo, onde ficará preso, à disposição da Justiça.

Deixe o seu comentário