15 de Maio de 2015 • 7:02 pm

Maceió

Pressionado por moradores, Rui volta atrás e não vai modificar Vera Arruda

Informação foi dada pelo vereador e presidente da Câmara municipal, Kelmann Vieira (PMDB)

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Corredor Vera Arruda corre o risco 'deixar de exsistir'

Corredor Vera Arruda corre o risco ‘deixar de exsistir’

Parece que os moradores da orla de Maceió têm um certo prestígio com o prefeito Rui Palmeira (PSDB). É que segundo uma postagem, via facebook, na tarde desta sexta-feira (15),  do vereador e presidente da Câmara do legislativo municipal, Kelmann Vieira (PMDB), o chefe do executivo mudou de opinião sobre o projeto de abrir as ruas do Corredor Vera Arruda, um belo cartão da cidade.

Em sua página oficial, o parlamentar comemora a desistência de Rui. “Numa reunião com os secretários Manoel Messias, do Planejamento, e David Maia, do Meio Ambiente, fui informado que a decisão da prefeitura de não mais abrir as ruas do Corredor Vera Arruda para o tráfego de carros”, escreveu o Kelmann.

A assessoria de comunicação da Prefeitura informou que em breve deve se manifestar oficialmente sobre a decisão.

A proposta, porém, não tinha sido bem recebida pelos moradores da região, que chegaram a realizar um protesto no último fim de semana. No protesto promovido pela comunidade no sábado (09), eles se uniram em um abraço simbólico no Corredor Vera Arruda, adiantando que acionariam o Ministério Público contra as modificações, por meio de uma representação contra a Prefeitura de Maceió.

Na oportunidade, Carlito Lima, um dos moradores da região, disse que o projeto da prefeitura comprometeria uma das principais áreas de lazer da capital. “Moro aqui há dez anos. Meus netos cresceram e se criaram aqui. A construção de ruas no corredor prejudicaria toda a área verde do local. Temos de preservar este espaço de convivência”, analisou.

O executivo da capital tinha como objetivo aumentar o tráfego de veículos na região e, com isso, desafogar outras vias de acesso ao bairro.

 

2 Comentários

  1. E mais uma vez o direito da minoria se sobrepõe ao da coletividade. Assim como foi no caso da ciclo faixa da Av. Dep. José Lages.

  2. Jason Neto disse:

    Alguns privilegiados moram em ruas fechadas, outros ficam presos no trânsito cada vez mais caótico naquela região.

Deixe o seu comentário