26 de abril de 2015 • 1:41 am

Cotidiano » Política

Procurador diz que terceirização é trabalho escravo

Procurador do Trabalho, Rodrigo Alencar chamou de “mentes mal intencionadas” os que defendem a tercerização do trabalho

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Alencar contra terceirização.

Alencar contra terceirização.

– A terceirização da mão de obra no País representa a precarização, trabalho escravo, redução de salários, mais acidentes do trabalho.

A declaração é do Procurador Regional do Trabalho em Alagoas, Rodrigo Alencar. Ele se manifestou durante a solenidade de entrega do Prêmio (jornalismo) Braskem de Saúde e Segurança do Trabalho, evento que reuniu jornalistas, representantes do Ministério Público do Trabalho, empresários e autoridades do setor público.

Para o procurador quem defende a terceirização são “as mentes mal intencionadas” e que ainda por cima não fazem um discurso honesto para a sociedade. Justifica dizendo que a terceirização protege os direitos dos trabalhadores, nem o emprego deles como querem fazer acreditar parlamentares que defendem o projeto no Congresso Nacional.

Alencar foi claro ao afirmar que o Congresso que aí está não representa os interesses dos trabalhadores. Ele alertou para a necessidade de uma consciência maior dos brasileiros em torno do tema, considerando o mal que a terceirização faz para todos que buscam ter segurança e vida saudável no emprego.

O procurador ilustrou o discurso com a história de um trabalhador alagoano que foi morto soterrado no local de trabalho, exatamente no dia do aniversário, durante a construção de um templo de uma igreja evangélica, no bairro de Mangabeiras , em Maceió. Esse trabalhador era mão de obra terceirizada de uma empreiteira que não cuidou devidamente dos seus contratados para o exercício profissional. Diante disso, defendeu a necessidade de a sociedade se unir e lutar contra a terceirização.

Por sua vez, o Superintendente Regional do Trabalho, Israel Lessa, ao criticar a terceirização disse que em Alagoas, só no ano passado, foram registrados 10 mil acidentes de trabalho.

Deixe o seu comentário