17 de setembro de 2015 • 11:16 am

Cotidiano

Projeto leva pessoas com deficiências a um desfile de modas

O desfile faz parte de um projeto de inclusão social.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Modelo: em projeto de inclusão

Modelo: em projeto de inclusão

Com direito a trilha sonora e muitos flashes, quatorze pessoas portadores de deficiência física ou mental, se transformarão em “modelos por um dia” e subirão na passarela que será montada no Memorial à República, em Maceió, com uma coleção da Loja Forum.

O desfile que acontecerá na próxima terça-feira, 22, às 19h, apresentará um verão colorido, chique e descontraído, que faz parte da coleção de Primavera/Verão 2016. Peças fluidas com estamparia exclusiva e acessórios fortes e marcantes estarão presentes na passarela.

O desfile é fruto de um projeto de inclusão social e valorização da pessoa com deficiência, desenvolvido pela deputada estadual Thaise Guedes (PSC).

Segundo ela. “tradicionalmente a deficiência tem sido vista como um problema individual, algo a ser tratado pela própria pessoa com deficiência, juntamente com seus familiares, não lhes restando alternativa, que não tentar se adaptarem ao trabalho, aos meios de transporte e aos ambientes de convívio social e cultural. Felizmente, essa cultura está sendo substituída pela inclusão. Hoje, as pessoas com deficiência, progressivamente, vêm demonstrando sua capacidade, vencendo obstáculos e participando ativamente dos ambientes profissional, social, esportivo e artístico. A ideia do projeto é de reforçar esse conceito”.

Para o empresário Alexandre Colírio, participar do projeto é recompensador, “Um dos objetivos do nosso grupo é contribuir para as causas sociais, e não poderíamos ficar de fora de uma iniciativa tão louvável. Estamos honrados com o convite da Deputada e unidos nesse projeto de tamanha nobreza”, destaca.

Entre os participantes, estão atletas paralímpicos da Associação dos Deficientes Físicos de Alagoas – ADEFAL, a exemplo da estudante de biblioteconomia e nadadora, Erica Ferro. Portadora da Síndrome de Moebius, a atleta viu no projeto, uma chance de quebrar barreiras. “Agradeço muito a Deputada Thaise, pelo convite. Confesso que fiquei receosa de início por conta da minha síndrome, que causa paralisia facial, estrabismo e esse ar de “lerda”, mas pensei que, assim como eu, podem existir outras pessoas com a Síndrome de Moebius que ficam em casa, se escondendo do mundo, pelo fato de serem um tanto “esquisitas” esteticamente falando. Esse projeto me deu a chance de colocar a Síndrome de Moebius em destaque”, disse.

 

Deixe o seu comentário