6 de outubro de 2015 • 7:12 pm

Brasil

Protesto: Servidora do TRT-AL se acorrenta em frente ao Congresso

Dora Castro participa de ato nacional em Brasília pela derrubada do veto ao PL 28

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Dora é acompanhada por colegas

Dora é acompanhada por colegas

Fotos: Assessoria Sindjus-AL

Fotos: Assessoria Sindjus-AL

A servidora do TRT/AL, Dora Castro, que participa do ato nacional em Brasília pela derrubada do veto 26 ao Projeto de Lei (PL) 28/2015 – que previa aumento de 53% a 78,56%, aos servidores do Judiciário Federal, acorrentou-se em frente ao Congresso Nacional, em protesto contra o cancelamento da sessão de apreciação dos vetos presidenciais na tarde desta terça-feira (06). Para a categoria, que vem realizando diversas manifestações em todo o país, para que a apreciação do veto entre em votação, o adiamento soou como manobra política.

A servidora afirma que o cadeado que prende a corrente só será aberto quando o veto ao reajuste salarial da categoria for votado. De acordo com informações do Sindjus-AL, a servidora também não está se alimentando. “Não vou voltar para Alagoas sem a apreciação do veto presidencial 26. Isso não se faz; ficam nos iludindo. Sou uma trabalhadora digna. Cumpro com todas as obrigações como uma cidadã de bem. Não aceito mais esse tratamento”, desabafou. Outros servidores alagoanos estão acompanhando o protesto ao lado da Dora Castro.

Em Alagoas, os servidores do Judiciário Federal estão em greve há 110 dias pela recomposição salarial. O sindicato destaca que a categoria está há nove anos sem reajuste e acumula uma defasagem salarial de mais de 60%.

Sessão encerrada

Marcada para esta terça-feira, a sessão foi esvaziada e não houve quórum para votação, o que levou ao encerramento da sessão. O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB), marcou uma nova sessão para esta quarta-feira (7), às 11h30. E os servidores prometem manter a mobilização para cobrar a derrubada do veto 26.

  • Com informações da Assessoria do Sindijus

Deixe o seu comentário