27 de fevereiro de 2016 • 8:26 am

Brasil » Economia

Reflexos da crise? 40% dos adultos brasileiros estão investindo no próprio negócio

Pesquisa divulgada pelo Sebrae mostra que o número de empreendedores no país cresceu 39,3% em 2015

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

(*)

Crise, desemprego ou puro empreendedorismo? Uma pesquisa realizada pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), encomendada pelo Sebrae nacional revela que de cada dez brasileiros adultos, quatro já possuem ou estão envolvidos com a criação de uma empresa própria. De acordo com o levantameto, a taxa de empreendedorismo no país, em 2015, foi de 39,3%, a maior registrada nos últimos 14 anos.

Ilustração

Ilustração

Quando comparada internacionalmente, a taxa de empreendedorismo brasileira é superior à dos Estados Unidos, México, Alemanha e dos países que compõem o Brics – sigla que se refere ao grupamento formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Na avaliação do presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, divulgada pela assessoria de comunicação do órgão, o empreendedorismo é uma alternativa dos brasileiros para contornar as dificuldades que a economia vem passando. Ele aponta para a necessidade de promover ações que reduzam a burocracia, simplifiquem a legislação, facilitem o crédito e incentivem a educação empreendedora.

“Precisamos facilitar a vida de quem empreende ou quer empreender. Quanto mais crédito e menos tempo o empresário perde com entraves burocráticos, mais ele pode se dedicar ao seu negócio, o que gera mais emprego e renda para os brasileiros”, diz Afif.

OPORTUNIDADE

A pesquisa também revela que 56% dos empreendedores que estão criando ou já abriram uma empresa identificaram uma oportunidade. Esse número sofreu uma queda em relação aos últimos anos e voltou ao mesmo patamar de 2007, quando a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa entrou em vigor.

“Com a melhoria do ambiente legal no Brasil, presenciamos um boom no empreendedorismo. O aumento de incentivos influenciou o forte crescimento do empreendedorismo por oportunidade, que pode ter voltado a um patamar mais equilibrado quando comparado com o empreendedorismo por necessidade”, destaca o presidente do Sebrae.

A pesquisa foi realizada entre os meses de setembro e novembro de 2015 e entrevistou duas mil pessoas entre 18 e 64 anos de idade em todas as regiões do país, e 74 especialistas em empreendedorismo.

  • Com informações da ASN – Sebrae Nacional

Deixe o seu comentário