17 de Abril de 2017 • 4:57 pm

Interior

Reforma pode quebrar municípios e gerar saques, diz líder da Fetag

Presidente da Fetag-AL diz que reforma da previdência é um retrocesso na vida do trabalhador

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Alagoas (Fetag-AL), Genivaldo Oliveira, disse nesta segunda-feira, 17, que se o governo federal aprovar a reforma da previdência com 49 anos de contribuição para o trabalhador rural vai quebrar mais da “metade dos municípios alagoanos”.

Genivaldo Oliveira: alerta sobre a reforma da previdência.

Segundo ele, quem sustenta a economia da maioria dos municípios nesta terra é o dinheiro do aposentado. Nesse caso, revela que os trabahadores rurais têm forte contribuição na economia dos municípios, com o salário mínimo que recebem da previdência mensalmente, além dos recursos oriundos dos programas sociais como o Bolsa Família.

Para Genivaldo, mudar as regras do jogo agora é praticar um crime contra os trabalhadores e, principalmente, com o homem do campo que tem sua vida dedicada ao trabalho para colocar comida na mesa do povo brasileiro.

Alerta – O presidente da Fetag-AL ainda alertou aos parlamentares alagoanos que estão na base aliada do governo Temer que se as regras do governo passarem a situação nos municípios vai se agravar ainda mais com a possibilidade de saques em supermercados, considerando que sem a renda mínima a que têm direito os trabalhadores vão retornar ao tempo dos saques em suas bases.

Para ele esse é um problema que pode ocorrer, se houver retrocesso na aposentadoria e nos recursos dos programas sociais . -Será um fato desagradável, mas real. – Advertiu.

Genivaldo Oliveira esteve participando nesta segunda da audiência pública da Câmara Municipal de Arapiraca, quando os vereadores e representantes da sociedade organizada estiveram debatendo as reformas propostas pelo governo de Michel Temer.

 

 

Deixe o seu comentário