6 de março de 2017 • 7:12 am

Brasil

Reforma trabalhista precisa ouvir os trabalhadores, defende Cícero

Projeto não pode beneficiar um lado e prejudicar outro: tem que ser justo, diz deputado

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O deputado federal Cícero Almeida (PMDB) disse que a câmara  não pode e nem deve deixar de ouvir as vozes que defendem os interesses dos trabalhadores no processo da reforma trabalhista pretendida pelo governo. “Os sindicatos, as centrais sindicais, enfim, todos os segmentos envolvidos precisam opinar sobre os pontos da reforma”, declarou.

Almeida: contas aprovadas

Destacou que defendeu esse ponto de vista juntos aos líderes da Câmara e uma agenda já foi traçada pela  Comissão Especial da Reforma Trabalhista (PL 6787/16)para o mês de março.

A comissão receberá os presidentes das seis principais centrais sindicais – CTB, CSB, Força Sindical, CUT, UGT e NCST – na terça-feira (7) e os dirigentes das maiores confederações patronais – CNA, CNC, CNI, CNT, CNS e Febraban – na quarta-feira (8).

O fundamental, na visão de Almeida, é que os segmentos a serem ouvidos terão toda possibilidade municiar a comissão na expectativa de aperfeiçoar o projeto, “por que esses é que sentem na pele, de fato, os ônus e bônus de uma vida dedicada ao trabalho no Brasil”,

Para o deputado alagoano, os parlamentares da comissão precisam estar atentos para não transformarem a reforma em um monstrengo, que prejudique um lado em benefício de outro. “Quando isso acontece a corda só arrebenta do lado mais fraco. É fundamental que a proposta seja justa”, concluiu.

 

Deixe o seu comentário